EDUCAÇÃO: Formação cidadã

Projeto Intervivência Oasis completa 10 anos de conexão entre a UFRN e juventude do interior do Rio Grande do Norte

Ação aborda temas como Gestão de Políticas Públicas, Meio Ambiente, 
Saúde, Participação, Economia Solidária e 
Associativismo. Foto_Jerferson Rocha.
Por Jeferson Rocha

Denys Daniel tinha 15 anos quando ouviu falar da UFRN por meio de um projeto que iria envolver alunos da Escola Estadual Maria da Conceição Messias, em Jandaíra, região do Mato Grande Potiguar, e que mudaria sua vida para sempre: “Chegaram três pessoas da Universidade, fizeram uma reunião com a diretora e ela optou por fazer uma seleção de alunos do 1° e 2° anos do Ensino Médio e passou nas salas comunicando que ia ter um projeto para participar, por dois anos”, lembra.

Daniel participou da primeira edição do Projeto de Extensão “Intervivência Universitária”, coordenado pelo professor Washington José de Souza, do Departamento de Administração Pública e Gestão Social (DAPGS), do Centro de Ciências Sociais Aplicadas (CCSA), da UFRN, que já está em sua sexta edição, realizada de forma ininterrupta, pela Organização de Aprendizagens e Saberes em Iniciativas Solidárias (Oasis) com apoio de professores e alunos de diversas áreas da Universidade, além de voluntários. 

O projeto integra a UFRN ao sistema público de educação básica por meio de uma ação de educação complementar, através da replicação de metodologia socioeducativa com oficinas, apresentações técnicas, debates e gincanas que abordam temas como Gestão de Políticas Públicas, Meio Ambiente, Saúde e Segurança Alimentar e Nutricional, Controle Geral e Participação, Economia Solidária e Associativismo e, nesta edição, a equipe está implantando atividades que envolvem a Educação Fiscal. 

A ideia principal é complementar os conteúdos de forma dialogada: “Foi nas formações que a gente começou a aprender e a se tornar os cidadãos que somos hoje. As formações eram sobre responsabilidade social, políticas públicas, conteúdo social, temas muito novos que a gente não via na escola - conteúdos totalmente transversais mas que a gente não conhecia. E a gente teve total liberdade para opinar também, dava para notar que os professores eram bem abertos, dialogavam o tempo inteiro, não era uma coisa que eles passavam conhecimento, como é na escola, era uma coisa que eles chegavam e construíam, faziam círculos, dialogavam”, destaca Daniel. 

Além da formação, o projeto possibilita aos estudantes contato com os diversos ambientes para além de sua cidade, conhecendo outros lugares e espaços que ampliam o conhecimento de mundo deles, como a própria UFRN. “A gente tem encontros anuais em Natal, no Atheneu, e fazemos questão de trazê-los à Universidade para que tenham contato com a estrutura, não só a física, para que percebam o ambiente universitário. Dá para perceber o orgulho deles em estarem aqui neste ambiente público”, registra o professor Washington. Continue lendo...
Ascom/UFRN.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

CIÊNCIAS: Vale apenas saber - A classificação das aves

EM TEMPO: Alan Silveira continua dando um trato na infraestrutura urbana

CURIOSIDADE: O sexo no mundo animal – tamanho do pênis

AFRODISÍACO: Galvão provou ‘Viagra Natural’ horas antes de passar mal