FAKE NEWS: Ministro Alexandre de Moraes relaciona grupos de WhatsApp à 'lavagem cerebral'

Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil
(Valor Econômico) – O ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), relacionou nesta sexta-feira grupos de WhatsApp à “lavagem cerebral”, apontando-os como instrumentos para o enfraquecimento da democracia. O ministro deu a declaração durante palestra no XXIII Congresso Ibero-Americano de Direito e Informática, realizado em São Paulo.

Democracia atrapalha a rapidez da solução dos problemas. Ouvimos recentemente. A crítica começou a ser exacerbada”, ironizou o ministro, que é relator do inquérito que apura fake news contra integrantes do STF, aberto de ofício pelo presidente da Corte, Dias Toffoli.

A fala de Moraes foi interpretada como uma indireta ao vereador Carlos Bolsonaro (PSC-RJ), filho do presidente Jair Bolsonaro, que postou no Twitter que “por vias democráticas a transformação que o Brasil quer não acontecerá na velocidade que almejamos”.

O ministro afirmou também que algoritmos usados na publicidade agora estão em uso de grupos interessados em promover “lavagens cerebrais e obtenção votos”. Moraes disse ainda que a atual legislação não é capaz de lidar com as fake news.

Após a palestra, Moraes foi indagado por jornalistas se a menção à postagem de Carlos Bolsonaro foi um recado ao presidente ou aos filhos dele. O ministro disse que falou genericamente sobre um problema “global”.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

CIÊNCIAS: Vale apenas saber - A classificação das aves

EM TEMPO: Alan Silveira continua dando um trato na infraestrutura urbana

CURIOSIDADE: O sexo no mundo animal – tamanho do pênis

AFRODISÍACO: Galvão provou ‘Viagra Natural’ horas antes de passar mal