Pular para o conteúdo principal

AMBIENTE: ONGs pedem fim de sigilo sobre ações contra óleo no Nordeste

Ministério Público entra com ação contra governo exigindo acionamento de plano de contingência por derrame que já atingiu 200 localidades no Nordeste brasileiro

Voluntários limpam Praia dos Carneiros, em Tamandaré, PE.
Imagem: PCR/APACC
(Observatório do Clima) – Organizações não-governamentais entregaram na semana passada ao Senado uma carta aberta pedindo o fim do sigilo sobre a investigação do derramamento de petróleo que afeta o Nordeste.

A carta, que até o momento da entrega era assinada por cerca de cem organizações e pessoas físicas, como os atores Marcos Palmeira, Maitê Proença, Mateus Solano e vários cientistas, repudia a falta de transparência na apuração das causas do desastre e pede a abertura dos dados sobre a apuração e as ações do governo para conter o óleo.

Os ambientalistas também lembram que, até agora, o Plano Nacional de Contingência para incidentes com petróleo, de 2013, “não foi executado e/ou acionado na forma proposta”.

Na última quinta-feira (17), o Ministério Público Federal entrou com ação contra a União pelo não acionamento do plano, determinando que este ocorra em 24 horas. O comitê executivo do Plano Nacional de Contingência, que seria o responsável pelo acionamento, foi extinto em abril pelo “revogaço” do governo federal.

Também na quinta, o presidente da Comissão de Meio Ambiente do Senado, Fabiano Contarato (Rede-ES), pediu que o governo decretasse emergência ambiental pelo desastre. O óleo já afeta 2.250 km de costa no Nordeste brasileiro, do Maranhão a Salvador. Segundo o balanço mais recente do Ibama, divulgado nesta segunda (21), o óleo já atingiu 200 localidades em 78 municípios de todos os 9 estados do Nordeste.

Segundo o chefe do Estado-Maior do Comando de Operações Navais da Marinha, Alexandre Rabello de Faria, este é o maior desastre desse tipo já ocorrido no Brasil, tanto em extensão de dano quanto em duração. Desde o dia 2 de setembro, segundo a Marinha, foram recolhidas mais de 600 toneladas de resíduos contaminados com óleo nas praias nordestinas - voluntários, entidades da sociedade civil e autoridades governamentais trabalham na limpeza das praias afetadas.

A recomendação da Secretaria de Meio Ambiente e da Defesa Civil de Pernambuco é de que o óleo não seja manuseado sem o uso de equipamentos de segurança. Entidades envolvidas no esforço de limpeza, como o Greenpeace, reclamam que o governo não acionou o plano de emergência a tempo e da forma correta para combater o óleo. Os grupos de limpeza e governos estaduais pedem maior apoio com verbas federais, tratores e equipamentos de segurança.

Demora para agir
Na quarta passada (16), a Associação dos Servidores do Ministério do Meio Ambiente publicou uma carta na qual afirma que a tragédia no Nordeste é sintomática do que virou o MMA: “Um órgão sem gestão e planejamento estratégico (…), totalmente centralizado (…) onde os servidores são silenciados e o conhecimento técnico não é levado em conta”.

Os primeiros relatos de praias nordestinas contaminadas por petróleo ocorreram no final de agosto na Paraíba e foram tratados como um incidente local. Nas últimas semanas, porém, o óleo se espalhou pelos nove Estados da costa nordestina, afetando algumas das principais destinações turísticas do país, como Jericoacoara (CE), Praia dos Carneiros (PE), Maragogi (AL) e Praia do Forte (BA).

Na quarta-feira, após 24 horas sem registro de novo óleo, uma mancha de grandes proporções foi avistada em Japaratinga, uma praia paradisíaca da Costa dos Corais, em Alagoas, próxima a um santuário de peixe-boi marinho, espécie ameaçada de extinção.

Ninguém sabe a origem do vazamento, embora estudos de modelagem feitos pela Universidade de São Paulo apontem para um navio a cerca de 400 km da costa, que teria ou afundado, ou sofrido um acidente, ou despejado intencionalmente uma carga de óleo bruto no mar. O comportamento da mancha, que se espalhou tanto para norte quanto para sul, sugere que o derrame tenha ocorrido na região onde a corrente Sul-Equatorial se bifurca.

No Senado, na quarta (17), o almirante Rabello de Faria comparou o derrame a uma “bala perdida” que se espalhou por toda a costa nordestina. “Agora estamos procurando a arma”. Mais de mil navios são investigados. A Marinha trata o incidente como crime, já que, em caso de acidente ou naufrágio, a obrigação do dono do navio é reportar às autoridades internacionais. É possível que o navio acidentado estivesse transportando petróleo comercializado ilegalmente.

Segundo a carta dos ambientalistas, o Estado brasileiro “pecou em não reconhecer de imediato a dimensão do problema” e “na falta de transparência pública e celeridade em tomar as devidas medidas emergenciais de contenção”.

Passaram-se 39 dias entre o primeiro relato e a primeira agenda do ministro do Meio Ambiente relacionada com o petróleo”, disse o oceanógrafo Alexander Turra, do Instituto Oceanográfico da USP. Ele também critica o sigilo nas investigações. “Não consigo entender por que está sob sigilo uma investigação que é de interesse do Brasil, de algo que aconteceu fora das nossa zona econômica exclusiva”, afirmou.

O Ministério do Meio Ambiente foi procurado pelo Observatório do Clima para comentar a carta, mas não respondeu.

Comentários

Postar um comentário

Por favor, nos seus comentários use opinião responsável e com educação.

Postagens mais visitadas deste blog

CURIOSIDADE: O sexo no mundo animal – tamanho do pênis

Na natureza, tamanho pode ser documento. A notícia que uma lula encontrada nas Ilhas Malvinas tem um pênis do comprimento do seu corpo causou certo espanto, mas ela está longe de ser exceção.

O homem Nesta proporção também se enquadra o homem. Em média, o tamanho médio dos pênis varia entre 12 e 15 centímetros em estado ereto, apesar de depender de diversos fatores como raça, biotipo, genética e tamanho da pessoa.
Portanto, não há uma definição específica para o tamanho do Pênis na nossa espécie. Segundo a enciclopédia científica, pênis apenas com 7 cm ou menos em estado de ereção são considerado pequenos.
A baleia-azul
A baleia-azul (Balaenoptera musculus), que chega a ter mais de 30 metros de comprimento, é considerada pelos cientistas a espécie mais bem dotada do reino animal, pelo menos em termos absolutos: o órgão sexual de um macho adulto atinge mais de 2 metros de comprimento -- mas isso significa apenas 7% do tamanho de seu corpo.
A Lula Na natureza, o tamanho do aparelho reprod…

ENQUETES: Enquetes mostram pouca reprovação do gestor Alan Silveira

Tudo bem que enquetes não representam o pensamento cientifico estatístico na sua essência, no entanto, elas, servem como um pré-parametro, podemos assim dizer, para termos uma base de um pleito.
E elas, as enquetes, nos dão uma ideia da pouca ou quase nenhuma reprovação do prefeito do Apodi, Alan Silveira, nesse inicio de campanha aqui em Apodi. Enquetes aponta larga vantagem de Alan Silveira.  Pelo menos todas que já li assim mostram.
Agora é esperar pelas primeiras pesquisas devidamente registrada no TRE, que possuem um valor cientifico mais apurado para confirmação.

NOTA DE PESAR: Faleceu Isaias

Cleber Isaías, foi a 30º vítima de covid em Apodi. Talvez por esta ligado a família foi a perda que mais nos deixou sentimento. 
A vida impôs desafios a Isaias, ele aceitou e os enfrentou com muita honra. Seu alto astral nos serviu como um espelho para a vida. Difícil encontrar uma foto sua séria para colocar em momento solene como esse. 
Meus mais sinceros sentimentos ao amigo Filhinho, pai de Isaias e família.

RECURSOS HÍDRICOS: Dessalinizadores implantados pela Semarh garantem água potável à famílias do semiárido

Levar o acesso à água potável e de boa qualidade para o consumo humano é uma das premissas do Governo do RN e para alcançar esse objetivo a Secretaria de Estado do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos (Semarh) prossegue implantando sistemas de dessalinização de água no interior potiguar. Na atual fase do Programa Água Doce (PAD), iniciada na gestão da governadora Fátima Bezerra, já foram instaladas 23 tecnologias que atenderão a mais de 5 mil pessoas no semiárido.
Ter água doce em casa diariamente era o sonho das 160 famílias da comunidade Logradouro, em Porto do Mangue. Para a moradora Jaqueline Costa, a máquina chegou para mudar completamente a vida dos moradores. “Sem água doce aqui a gente tinha que comprar água mineral com um custo alto. Nossa saúde e qualidade de vida vão melhorar bastante” comemora Jaqueline, que também é a operadora do sistema.
Para o secretário de estado do meio ambiente e dos recursos hídricos, João Maria Cavalcanti, o PAD é um dos programas mais bonitos exec…

PRÉ-CAMPANHA: MDB no corpo a corpo

Percorrendo casas de pessoas simples, como nunca deixou de fazer. O atual prefeito do Apodi Alan Silveira e seu vice Neilton Diógenes nesse período de pré-campanha estão firmes e fortes em seu projeto de reeleição.