Pular para o conteúdo principal

AMBIENTE: Especialistas defendem uso de biocombustíveis e veículos elétricos para reduzir CO2

Projeto relatado pelo senador Jean Paul Prates estimula o uso de veículos elétricos no Brasil

Foto: Vinicius Borba
Representantes do Governo Federal e do setor elétrico nacional defenderam, nesta segunda-feira, 7 de outubro, o aperfeiçoamento do uso do combustível no país. Eles participaram de audiência pública no Senado que debateu o Projeto de Lei 454/2017, que estimula o uso de veículos elétricos e daqueles movidos exclusivamente por biocombustíveis.

O texto apresentado pelo senador Telmário Mota (Pros-RR) proíbe, a partir de 2060, a comercialização de veículos novos ligados a combustíveis fósseis no Brasil. A projeto estabelece ainda um escalonamento a partir de 2030.

A medida apresentada pelo parlamentar roraimense segue a tendência mundial. Países como França e Reino Unido estabeleceram que até 2040 deixarão de ser vendidos carros novos a diesel ou gasolina. Já na Noruega, o prazo fixado foi até 2025.

Segundo o relator da proposta, senador Jean Paul Prates (PT-RN), o país precisar criar mecanismos que incentive o uso veículos híbridos e conciliem a eletromobilidade com os biocombustíveis. “Vamos caminhar para o debate sobre a mobilidade sustentável e renovável. As nossas matrizes e fontes devem se mesclar para que façamos um uso ideal delas”, afirmou.


Setor


A comercialização de veículos híbridos e elétricos vem crescendo nos últimos anos no país. Dados divulgados pelo diretor de estudos do Petróleo, Gás e Biocombustíveis da Empresa de Pesquisa Energética (EPE) vinculada ao Ministério de Minas e Energia, José Mauro Ferreira Coelho, apontam um crescimento no número de veículos elétricos no país nos próximos anos.

Os números mostram que até 2030, o Brasil terá 1 milhão de veículos elétricos. Em 2016, o país teve apenas 1.091 veículos licenciados. A tendência, até 2030, é de 180 mil por ano. 

Durante o debate, o presidente da Associação Brasileira de Veículos Elétricos (ABVE), Ricardo Guggisberg, defendeu a criação de um plano nacional de eletromobilidade no país. “Todos os países que avançaram na eletromobilidade seguiram um conjunto coerente e consistente de medidas, em todos os níveis de governo, para atingir um duplo objetivo: reduzir as emissões dos gases do efeito estufa e cortar os poluentes atmosféricos das grandes cidades”, disse.
Assessoria de comunicação.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

CURIOSIDADE: O sexo no mundo animal – tamanho do pênis

Na natureza, tamanho pode ser documento. A notícia que uma lula encontrada nas Ilhas Malvinas tem um pênis do comprimento do seu corpo causou certo espanto, mas ela está longe de ser exceção.

O homem Nesta proporção também se enquadra o homem. Em média, o tamanho médio dos pênis varia entre 12 e 15 centímetros em estado ereto, apesar de depender de diversos fatores como raça, biotipo, genética e tamanho da pessoa.
Portanto, não há uma definição específica para o tamanho do Pênis na nossa espécie. Segundo a enciclopédia científica, pênis apenas com 7 cm ou menos em estado de ereção são considerado pequenos.
A baleia-azul
A baleia-azul (Balaenoptera musculus), que chega a ter mais de 30 metros de comprimento, é considerada pelos cientistas a espécie mais bem dotada do reino animal, pelo menos em termos absolutos: o órgão sexual de um macho adulto atinge mais de 2 metros de comprimento -- mas isso significa apenas 7% do tamanho de seu corpo.
A Lula Na natureza, o tamanho do aparelho reprod…

PANDEMIA: Falece de covid-19 em Mossoró 3º Apodiense

Mais um apodiense faleceu vítima da COVID-19. Sidney (45), estava internado na UTI em Mossoró lutando pela vida. Foi bravo, mas foi vencido. Teve duas paradas cardíacas e não resistiu na segunda no final da tarde início da noite de hoje (22). Infelizmente. Muito triste.
Nossos pêsames aos familiares. Sidney foi o terceiro Apodiense morto pelo coronavírus. Deus proteja a nós todos.

CIÊNCIAS: Vale apena saber – Porque quando estamos gripados não sentimos o cheiro nem sabor das coisas?

Quando você está com gripe ou resfriados você quase não sente o cheiro das coisas. Quanto ao sabor é como se tivéssemos comendo palha. Mas será por que isso acontece?
Ao ficarmos gripados ou resfriados as células que formam a mucosa nasal produz excesso de muco (espécie de liquido pegajoso) na tentativa de diminuir a irritação causada pelos agentes causadores da infecção.
Dessa forma o excesso de muco dificulta a chegada das moléculas de odor, que se propagam no estado gasoso, até as células receptoras de olfato e com isso há uma diminuição nesse sentido.
Além disso, os próprios vírus afetam células olfatórias prejudicam ainda mais o funcionamento do olfato. Como o olfato interfere na identificação dos sabores esse sentido também fica prejudicado, daí você também não sentir o gosto.
É isso ai, repouso, boa alimentação e muito líquidos são fundamentais na recuperação contra gripes e resfriados. Agora você ficou sabendo por que não sentimos cheiro nem o sabor quando estamos com gripe e resf…