MERCADO: Jovens potiguares buscam oportunidade no mercado de trabalho por meio da Lei da Aprendizagem

Regulamentação estabelece que as empresas de médio a grande porte devem possuir de 5% a 15% de jovens aprendizes em trabalho e/ou estágio

João Victor Medeiros Silveira, aprendiz legal na JMT Service.
Com 15 anos de idade, João Victor Medeiros Silveira de Sousa cursa o primeiro ano do Ensino Médio. O estudante aproveitou o período de férias para buscar a primeira oportunidade no mercado de trabalho. Selecionado por uma empresa de terceirização de mão-de-obra, em Natal, ele fala sobre as expectativas para a primeira experiência de trabalho de sua vida. “Espero absorver todas as orientações e dicas para aplicar quando eu deixar de ser um jovem aprendiz, seja para uma efetivação aqui na JMT Service ou em outra empresa”, conta.

A regulamentação que oportuniza vagas como a alcançada por João Victor é a Lei da Aprendizagem, a qual orienta empresas de médio e grande porte a contratar jovens, com idade entre 14 e 24 anos, como aprendizes. Nesta relação de trabalho, o contrato pode durar até dois anos, tempo suficiente para o aprendiz ser capacitado por uma instituição formadora, que deve trabalhar junto à empresa contratante, combinando desta forma teoria e prática.

Além de evoluir profissionalmente, programas de inserção no mercado de trabalho são o pontapé inicial para muitos começarem a ter uma renda extra e, assim, contribuir com as despesas de casa e desenvolver o senso de responsabilidade financeira, pois as empresas pagarão ao aprendiz um salário baseado em suas horas de trabalho.

Para a gerente administrativa da JMT Service, Jerlani Lucena, há uma importância social na contratação de jovens. “É a primeira oportunidade deles. Por isso, acolhemos e repassamos os ensinamos com objetivo de desenvolver competências que os incluam no mercado de trabalho. Além disso, na visão da empresa, conseguimos contribuir com a formação de futuros profissionais e espalhar valores cultivados na nossa rotina”, comenta.

Apesar de a obrigatoriedade ser específica para empresas maiores, qualquer organização pode contratar aprendizes. A regulamentação estabelece que as empresas de médio a grande porte devem possuir de 5% a 15% de jovens aprendizes em trabalho e/ou estágio. “Aqueles que estão interessados em conquistar uma vaga como aprendiz, devem procurar uma instituição formadora, como Centro de Integração Empresa-Escola (CIEE), fazer um cadastro e aguardar as seleções”, lembra Jerlani. 
Ideia comunicação.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

CIÊNCIAS: Vale apenas saber - A classificação das aves

EM TEMPO: Alan Silveira continua dando um trato na infraestrutura urbana

CIÊNCIAS: Vale apena saber – Porque quando estamos gripados não sentimos o cheiro nem sabor das coisas?

CIÊNCIAS: Vale apena saber – O funcionamento da bexiga natatório dos peixes