Pular para o conteúdo principal

AMBIENTE: Pesquisadores descobrem nova espécie de 'tubarão miniatura' que brilha no escuro

'Tubarão americano de bolso' mede apenas 14 centímetros e expele fluído luminoso; espécie foi vista pela primeira vez em 2010 e reapareceu em 2013

Mark Grace/Noaa. Nova espécie de tubarão foi encontrada em 2013 por
pesquisador da Administração Oceânica e Atmosférica Nacional.
(Portal–IG) – Pesquisadores americanos anunciaram a descoberta de uma nova espécie de 'tubarão miniatura' ( Mollisquama mississippiensis ) que brilha no escuro e que mede apenas 14 centímetros.

O primeiro espécime do ' tubarão americano de bolso', como ele foi apelidado, foi encontrado em 2010, no Golfo do México. Ele só voltou a ser visto em 2013, pelo pesquisador Mark Grace, da Administração Oceânica e Atmosférica Nacional (Noaa, na sigla em inglês), órgão que faz parte do Departamento de Comércio dos Estados Unidos. Este é apenas o segundo minitubarão dessa mesma família capturado, sendo que o primeiro foi uma fêmea de 40 centímetros encontrada em 1979 no Oceano Pacífico.

De acordo com artigo publicado por Grace junto a professores da Universidade de Tulane , de Nova Orleans, o pequeno animal possui a característica da bioluminescência, já que expele um fluído brilhante por meio de uma glândula localizada em suas barbatanas dianteiras. Ou seja, o minitubarão brilha no escuro.

"Essa característica foi visualmente examinada, embora a estrutura ficou muito danificada pela sua preservação no freezer. Além disso, há pequenos pontos escuros distribuídos em várias outras áreas do corpo que, superficialmente, assemelham-se a agregações fotóforas. Desse modo, baseado nos estudos dessa família e da avaliação visual, pode se concluir de que o  Mollisquama mississippiensis é um animal bioluminescente", escreveu Grace.

O nome científico do 'tubarão americano de bolso' foi dado em alusão ao Sistema do Rio Mississippi, que alimenta a fauna do Golfo do México, onde o animal foi capturado.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

CURIOSIDADE: O sexo no mundo animal – tamanho do pênis

Na natureza, tamanho pode ser documento. A notícia que uma lula encontrada nas Ilhas Malvinas tem um pênis do comprimento do seu corpo causou certo espanto, mas ela está longe de ser exceção.

O homem Nesta proporção também se enquadra o homem. Em média, o tamanho médio dos pênis varia entre 12 e 15 centímetros em estado ereto, apesar de depender de diversos fatores como raça, biotipo, genética e tamanho da pessoa.
Portanto, não há uma definição específica para o tamanho do Pênis na nossa espécie. Segundo a enciclopédia científica, pênis apenas com 7 cm ou menos em estado de ereção são considerado pequenos.
A baleia-azul
A baleia-azul (Balaenoptera musculus), que chega a ter mais de 30 metros de comprimento, é considerada pelos cientistas a espécie mais bem dotada do reino animal, pelo menos em termos absolutos: o órgão sexual de um macho adulto atinge mais de 2 metros de comprimento -- mas isso significa apenas 7% do tamanho de seu corpo.
A Lula Na natureza, o tamanho do aparelho reprod…

PANDEMIA: Falece de covid-19 em Mossoró 3º Apodiense

Mais um apodiense faleceu vítima da COVID-19. Sidney (45), estava internado na UTI em Mossoró lutando pela vida. Foi bravo, mas foi vencido. Teve duas paradas cardíacas e não resistiu na segunda no final da tarde início da noite de hoje (22). Infelizmente. Muito triste.
Nossos pêsames aos familiares. Sidney foi o terceiro Apodiense morto pelo coronavírus. Deus proteja a nós todos.

CIÊNCIAS: Vale apena saber – Porque quando estamos gripados não sentimos o cheiro nem sabor das coisas?

Quando você está com gripe ou resfriados você quase não sente o cheiro das coisas. Quanto ao sabor é como se tivéssemos comendo palha. Mas será por que isso acontece?
Ao ficarmos gripados ou resfriados as células que formam a mucosa nasal produz excesso de muco (espécie de liquido pegajoso) na tentativa de diminuir a irritação causada pelos agentes causadores da infecção.
Dessa forma o excesso de muco dificulta a chegada das moléculas de odor, que se propagam no estado gasoso, até as células receptoras de olfato e com isso há uma diminuição nesse sentido.
Além disso, os próprios vírus afetam células olfatórias prejudicam ainda mais o funcionamento do olfato. Como o olfato interfere na identificação dos sabores esse sentido também fica prejudicado, daí você também não sentir o gosto.
É isso ai, repouso, boa alimentação e muito líquidos são fundamentais na recuperação contra gripes e resfriados. Agora você ficou sabendo por que não sentimos cheiro nem o sabor quando estamos com gripe e resf…