Pular para o conteúdo principal

MEDICINA: 9 mitos e verdades sobre infecção urinária

Infelizmente, há muitas lendas envolvendo essa doença e o seu tratamento. E acreditar nela afeta demais a saúde

Reprodução.
As infecções urinárias não poupam ninguém – não à toa, são a principal complicação de origem bacteriana em todo o Brasil. Sim, apesar de as mulheres jovens serem as mais atingidas, a doença também afeta pessoas de outras idades e gênero.

É por isso que, quando o assunto é essa doença (que, se acabar se complicando, pode levar à morte), é preciso saber distinguir o que é certo do que é errado. A SAÚDE checou alguns mitos que circulam por aí sobre o assunto – será que algum em que você acreditava foi desmentido? Olha só:

1. “Pega no banheiro?”
MITO: As bactérias por trás da encrenca vivem no corpo, não por aí. Nada de segurar o xixi fora de casa.

2. “Suco de cranberry ajuda a prevenir?”
VERDADE: Embora ainda não haja estudos definitivos, médicos recomendam o suco ou cápsulas da frutinha contra infecções de repetição.

3. “Friagem faz mal
MITO: Pegar frio no pé ou sentar no gelado não causam cistite. O problema do inverno é beber menos água.

4. “É uma DST
MITO: A dinâmica do sexo facilita a contaminação da uretra por bactérias que já moram em nosso corpo.

5. “Ingerir produtos à base de probióticos ajuda
VERDADE: Alguns produtos e suplementos do gênero equilibram a flora intestinal e auxiliam a combater os micro-organismos por trás da cistite.

6. “Lave sempre mais
MITO: Exagerar na limpeza da região pode ser um tiro pela culatra, uma vez que desorganiza a flora bacteriana local.

7. “Hidratação evita a infecção
VERDADE: Caprichar nos goles de água eleva o volume e a saída de urina, o que ajuda a evitar a multiplicação e instalação dos micróbios.

8. “Tomar suplementos vitamínicos impede a contração
MITO: Multivitamínicos dão uma força para a imunidade, mas não há evidências de que protejam o pedaço.

9. “Tomar antibiótico resolve o problema
VERDADE: É o único tratamento quando a cistite já se instalou. O exame de urina acusa a bactéria causadora e norteia a escolha do remédio.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

CURIOSIDADE: O sexo no mundo animal – tamanho do pênis

Na natureza, tamanho pode ser documento. A notícia que uma lula encontrada nas Ilhas Malvinas tem um pênis do comprimento do seu corpo causou certo espanto, mas ela está longe de ser exceção.

O homem Nesta proporção também se enquadra o homem. Em média, o tamanho médio dos pênis varia entre 12 e 15 centímetros em estado ereto, apesar de depender de diversos fatores como raça, biotipo, genética e tamanho da pessoa.
Portanto, não há uma definição específica para o tamanho do Pênis na nossa espécie. Segundo a enciclopédia científica, pênis apenas com 7 cm ou menos em estado de ereção são considerado pequenos.
A baleia-azul
A baleia-azul (Balaenoptera musculus), que chega a ter mais de 30 metros de comprimento, é considerada pelos cientistas a espécie mais bem dotada do reino animal, pelo menos em termos absolutos: o órgão sexual de um macho adulto atinge mais de 2 metros de comprimento -- mas isso significa apenas 7% do tamanho de seu corpo.
A Lula Na natureza, o tamanho do aparelho reprod…

PANDEMIA: Falece de covid-19 em Mossoró 3º Apodiense

Mais um apodiense faleceu vítima da COVID-19. Sidney (45), estava internado na UTI em Mossoró lutando pela vida. Foi bravo, mas foi vencido. Teve duas paradas cardíacas e não resistiu na segunda no final da tarde início da noite de hoje (22). Infelizmente. Muito triste.
Nossos pêsames aos familiares. Sidney foi o terceiro Apodiense morto pelo coronavírus. Deus proteja a nós todos.

CIÊNCIAS: Vale apena saber – Porque quando estamos gripados não sentimos o cheiro nem sabor das coisas?

Quando você está com gripe ou resfriados você quase não sente o cheiro das coisas. Quanto ao sabor é como se tivéssemos comendo palha. Mas será por que isso acontece?
Ao ficarmos gripados ou resfriados as células que formam a mucosa nasal produz excesso de muco (espécie de liquido pegajoso) na tentativa de diminuir a irritação causada pelos agentes causadores da infecção.
Dessa forma o excesso de muco dificulta a chegada das moléculas de odor, que se propagam no estado gasoso, até as células receptoras de olfato e com isso há uma diminuição nesse sentido.
Além disso, os próprios vírus afetam células olfatórias prejudicam ainda mais o funcionamento do olfato. Como o olfato interfere na identificação dos sabores esse sentido também fica prejudicado, daí você também não sentir o gosto.
É isso ai, repouso, boa alimentação e muito líquidos são fundamentais na recuperação contra gripes e resfriados. Agora você ficou sabendo por que não sentimos cheiro nem o sabor quando estamos com gripe e resf…