Pular para o conteúdo principal

ADOÇÃO: Maternidade Januário Cicco sedia abertura oficial da semana estadual de adoção

Número de interessados em adotar uma criança ou adolescente tem
crescido no RN
.
Por João Pedrosa

O sonho da maternidade pode ser realizado de formas diferentes, seja gerando um bebê no próprio ventre ou uma gestação que começa com papéis e termina no coração.

Dados recentes da 2ª Vara da Infância e Juventude de Natal indicam que ao longo dos anos o número de famílias, casais e pessoas solteiras interessadas em adotar uma criança ou adolescente tem crescido no Rio Grande do Norte, cerca de 25% entre os anos de 2015 e 2017, por exemplo.

Com o objetivo de divulgar para a sociedade o instituto da adoção como uma das modalidades de colocação de crianças e de adolescentes em famílias adotivas, a Maternidade Escola Januário Cicco, da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (MEJC-UFRN), filial da Rede Ebserh, foi palco da abertura oficial da IV Semana Estadual de Adoção, onde foi assinado o termo de cooperação técnica para facilitar a adoção responsável, ao lado de diversas entidades.

O termo, que é uma parceria entre Tribunal de Justiça do Rio Grande do Norte (TJRN), Ministério Público (MPRN), Defensoria Pública, Conselhos Tutelares e Secretarias Municipal e Estadual da Saúde, busca facilitar a entrega das crianças pelas mães que externarem o desejo de doar seus filhos. Essa facilidade vai tornar mais célere o processo, beneficiando a criança, que ficará menos tempo à espera de uma família.

O juiz coordenador estadual da infância e Juventude, José Dantas, comenta a importância desse termo, pontuando que o costume de entregar crianças a famílias que não estão no Cadastro Nacional da Adoção é cultural. “Há uma tradição, um costume que não é recente, de mães que externam o desejo de entregar seus filhos para adoção e muitas vezes o fazem na maternidade e muitas vezes os técnicos que recebem essas mães não sabem o que fazer, para onde encaminhar. Então esse termo de cooperação técnica é para exatamente definir atribuições de cada órgão e dizer para onde encaminhar a mãe e a criança, ao nascer, para que seja recebida, acolhida e entregue para um casal previamente cadastrado", diz o juiz.

Segundo o superintendente da MEJC, Luiz Murillo Lopes de Britto, a assinatura do termo é um passo necessário e importante na prática da adoção legal. “O termo ajuda, principalmente, a instituição para que no momento que seja feita a detecção de uma mãe, que manifesta o desejo de fazer a doação de seu bebê, toda a equipe possa de maneira cuidadosa acolher esta demanda, não de forma discriminatória, mas sim entendendo o seu contexto socioeconômico, e procurando ver a melhor forma possível desta doação ser realizada”, afirma.

A promotora de Justiça Raquel Ataíde representou o MPRN no evento e ressaltou a importância do acordo para a celeridade do processo. “A intenção do termo de cooperação é fazer com que esse processo seja encurtado, para quando a mãe manifestar esse interesse de encaminhar seu filho para adoção, ela tenha acesso a todos os órgãos competentes rapidamente”, explica.

A parceria entre as instituições vem sendo desenvolvida há dois anos, mas agora, durante a semana de adoção, foi formalizada. Na cerimônia, foi exibido o documentário Olha pra Mim, produzido para a campanha de adoção deste ano. O vídeo pode ser conferido neste LINK. A Semana da Adoção prossegue até o dia 26 de maio.

Olha pra Mim
O mote da Semana, promovida pela Coordenadoria Estadual da Infância e Juventude, é Olha pra mim. A campanha busca chamar atenção dos pretendentes à adoção para crianças e adolescentes que estão fora do perfil preferência, geralmente exigido pelas famílias.

O objetivo é conscientizar a sociedade sobre a importância da adoção, não só sobre adoção de crianças recém-nascidas, mas principalmente daqueles que estão se tornando invisíveis, aqueles que vão crescendo dentro de instituições. 


Sobre a Ebserh
Desde agosto de 2013, a Mejc-UFRN é filiada à Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh), estatal vinculada ao Ministério da Educação que administra atualmente 40 hospitais universitários federais. O objetivo é, em parceria com as universidades, aperfeiçoar os serviços de atendimento à população, por meio do Sistema Único de Saúde (SUS), e promover o ensino e a pesquisa nas unidades filiadas.

O órgão, criado em dezembro de 2011, também é responsável pela gestão do Programa Nacional de Reestruturação dos Hospitais Universitários Federais (Rehuf), que contempla ações nas 50 unidades existentes no país, incluindo as não filiadas à Ebserh.

Agência de Comunicação da UFRN

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

APODI: Mulher dá a luz a uma Criança dentro de um carro

Há tempos prometi para mim mesmo deixar de falar aqui sobre os desmandos do Apodi. Tenho cumprido. Mas, hoje um fato me chamou atenção e é impossível não narrá-lo aqui.

Desde que convênio entre a PMA e a maternidade Claudina Pinto do Apodi deixou de existir, mães de Apodi, bem como de outros municípios que usavam os serviços da maternidade, ficaram um tanto quanto órfãos no que diz respeito à natalidade.
Na tarde deste domingo, 08, um fato triste se deu aqui em Apodi com relação a natalidade. Uma mulher deu a luz dentro de um carro aqui na cidade do Apodi. Um fato triste. Como a maternidade Claudina Pinto faz falta a uma população de 35 mil habitantes e para a região. Lamentável que, na atualidade, isso é considerado  agora normal, uma mãe parir dentro de um carro. Até algum tempo não era normal. Se acontecesse o mundo caia.
Que triste. Vir ao mundo em um carro? Acho que todos tem direito de nascer dignamente. Que saudade da atuação daqueles justiceiros que fizeram grande manifestação co…

APODI: DNIT quer demolir residência e desapropriar moradores que se encontram as margens da BR 405 no Distrito de Melancias

D. Mariana Carvalho, que mora no Distrito de Melancias, zona rural do Apodi, Oeste do RN, está aflita. Está prestes a perder sua residência e ser desapropriada.
O DNIT (Departamento Nacional de Infraestrutura do Trânsito) está querendo demolir sua residência juntamente com a residência do Pr. Gilberto de uma congregação do Distrito.

D. Mariana nos conta que há 01 ano recebeu uma visita do DNIT, notificando sua residência e a residência do Pr. Gilberto. O DNIT alega que sua casa e a do pastor na na área territorial do DNIT.
Ora, qual é esse critério do DNIT para decidir a esse respeito? Dezenas de centenas de casas em Melancias encontram-se as margens da BR 405. Muitas distantes, 05, 07, 10 metros da BR. Em Apodi mesmo, inúmeros estabelecimentos comerciais e casar estão praticamente dentro da BR 405.
Segundo nos relatou D. Mariana, sua residência encontra-se distante 28 metros da BR 405 que corta o Distrito de Melancias. Bem mais distante que diversas outras casas e estabelecimentos comerc…

INCIDENTE: Motorista mergulha carro da prefeitura do Apodi em rio