Pular para o conteúdo principal

LANÇAMENTO: “Machado que eu li” será lançado na ANL próxima quinta, 19 de abril


O imortal da Academia Norte Riograndense de Letras (ANL) Ivan Maciel de Andrade lança livro em que se debruça sobre a obra de Machado de Assis

Machado que eu li. Divulgação.
Por Sheyla de Azevedo

Articulista aos sábados do jornal Tribuna do Norte, o professor aposentado de Direito da UFRN e procurador de Justiça, Ivan Maciel de Andrade, 80, contabiliza mais de 700 artigos publicados naquele periódico, dos quais um pedaço significativo falou da obra de Machado de Assis, considerado o “Patrono das Letras” e que ele reúne agora em livro, por insistência de amigos como Woden Madruga e Jarbas Martins.

A obra Machado que eu Li – Editora Caravela Selo Cultural a ser lançada nesta quinta (19) de abril, às 18h, na ANL, contem 110 artigos e, segundo o autor, que ocupa a cadeira número 17 – antes, assento do amigo falecido Aluízio Alves – é um livro que “foge dos jargões acadêmicos”. Portanto, pode e deve ser lido por qualquer pessoa que tenha interesse em literatura. “Esse livro aproxima Machado do leitor”, diz ele, acrescentando que a aparente dificuldade em se ler Machado tem a ver com o fato de que ele era um escritor erudito, com características anglófilas.

Mas, passada essa barreira inicial, sua leitura se mantém atual e necessária. “Machado de Assis retratou a história social do Brasil de maneira crítica. Por trás de toda frase de MA tem um sentido, ele problematizava as questões humanas. Era um escritor, de certa forma, trágico”, diz acrescentando que os temas fundamentais da obra do escritor em questão eram o ciúme e a alma feminina.

Leitor voraz a vida inteira. Dedicou-se aos contos, crônicas e críticas não só de Machado de Assis, como também de obras de autores como (Fiódor) Dostoiévski (1821-1881), (Liev) Tolstói, (Marcel) Proust, (Anton) Tchekhov, Jorge Luis Borges, dentre muitos outros.

Maciel acredita que é o primeiro livro escrito nesse formato sobre a obra de Machado de Assis. Conhecedor também do que foi escrito sobre Machado por grandes nomes como Astrojildo Pereira e Roberto Schwarz é possível que o Rio Grande do Norte inaugure através de Maciel de Andrade um espaço na crítica à obra machadiana, que sai dos rincões acadêmicos, passeia pelas páginas efêmeras de um jornal e se assenta, finalmente, em livro.

“Machado que eu Li” – Ivan Maciel de Andrade - Lançamento de livro
Dia: 19 de abril, às 18h
Local: Academia Norte Riograndense de Letras,  Rua Mibipu 443, Petrópolis
Preço: R$ 40
Assessoria de imprensa

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

APODI: Mulher dá a luz a uma Criança dentro de um carro

Há tempos prometi para mim mesmo deixar de falar aqui sobre os desmandos do Apodi. Tenho cumprido. Mas, hoje um fato me chamou atenção e é impossível não narrá-lo aqui.

Desde que convênio entre a PMA e a maternidade Claudina Pinto do Apodi deixou de existir, mães de Apodi, bem como de outros municípios que usavam os serviços da maternidade, ficaram um tanto quanto órfãos no que diz respeito à natalidade.
Na tarde deste domingo, 08, um fato triste se deu aqui em Apodi com relação a natalidade. Uma mulher deu a luz dentro de um carro aqui na cidade do Apodi. Um fato triste. Como a maternidade Claudina Pinto faz falta a uma população de 35 mil habitantes e para a região. Lamentável que, na atualidade, isso é considerado  agora normal, uma mãe parir dentro de um carro. Até algum tempo não era normal. Se acontecesse o mundo caia.
Que triste. Vir ao mundo em um carro? Acho que todos tem direito de nascer dignamente. Que saudade da atuação daqueles justiceiros que fizeram grande manifestação co…

APODI: DNIT quer demolir residência e desapropriar moradores que se encontram as margens da BR 405 no Distrito de Melancias

D. Mariana Carvalho, que mora no Distrito de Melancias, zona rural do Apodi, Oeste do RN, está aflita. Está prestes a perder sua residência e ser desapropriada.
O DNIT (Departamento Nacional de Infraestrutura do Trânsito) está querendo demolir sua residência juntamente com a residência do Pr. Gilberto de uma congregação do Distrito.

D. Mariana nos conta que há 01 ano recebeu uma visita do DNIT, notificando sua residência e a residência do Pr. Gilberto. O DNIT alega que sua casa e a do pastor na na área territorial do DNIT.
Ora, qual é esse critério do DNIT para decidir a esse respeito? Dezenas de centenas de casas em Melancias encontram-se as margens da BR 405. Muitas distantes, 05, 07, 10 metros da BR. Em Apodi mesmo, inúmeros estabelecimentos comerciais e casar estão praticamente dentro da BR 405.
Segundo nos relatou D. Mariana, sua residência encontra-se distante 28 metros da BR 405 que corta o Distrito de Melancias. Bem mais distante que diversas outras casas e estabelecimentos comerc…

INCIDENTE: Motorista mergulha carro da prefeitura do Apodi em rio