Pular para o conteúdo principal

INOVAÇÃO: Estação de pesquisa da UFRN simula planeta Marte no interior do Rio Grande do Norte

Foto: Divulgação. Esforço científico que será realizado no Habitat também tem
como meta transformar o lugar em local de formação de educadores e estudantes.
Por Lucas Melo


Neste fim de semana, entre os dias 8 e 10 de dezembro, uma cidade do interior do Rio Grande do Norte vai ser palco de uma experiência inovadora para a ciência da América Latina. Um grupo de pesquisadores formado por estudantes da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) e liderado pelo professor Julio Rezende, do Departamento de Engenharia da Produção (DEP), irá promover uma série de estudos em um ambiente similar ao planeta Marte.

Essa experiência será desenvolvida na estação de pesquisa Habitat Marte, localizada no município de Caiçara do Rio do Vento, distante aproximadamente 100 quilômetros de Natal. Essa estação está montada dentro do Núcleo de Pesquisa em Engenharia, Ciência e Sustentabilidade do Semiárido (Nupecs) e a ideia de criá-la foi do professor Julio Rezende. “Já coordenava o Nupecs em Caiçara do Rio do Vento, onde desenvolvemos pesquisas sobre construção sustentável. Identificamos uma estrutura que poderia ser adaptada para funcionar como a estação de pesquisa Habitat Marte”, comenta.

A idealização do Habitat também surgiu da experiência do professor no Mars Desert Research Station (MDRS), que funciona na cidade de Hanksville, no sul do estado de Utah, nos Estados Unidos, e que, a exemplo da estação montada em Caiçara, imita o ambiente de Marte.

O primeiro contato do professor com o MDRS aconteceu durante seu pós-doutorado, desenvolvido nos Estados Unidos. Lá, ele percebeu aspectos naturais relevantes e semelhantes com regiões do nosso estado, como diz: “Percebi que as pesquisas sobre sustentabilidade relacionadas à Marte poderiam ser aproveitadas e aplicadas a regiões áridas e semiáridas, como é o caso do interior do Rio Grande do Norte”.

Com essa iniciativa, o professor e os outros pesquisadores envolvidos na tarefa buscam promover a educação espacial, a pesquisa sobre sustentabilidade em Marte e no semiárido, o desenvolvimento e a transferência de tecnologias, assim como a transformação de ideias em produtos reais no campo das engenharias. Além disso, o esforço científico que será realizado no Habitat também tem como meta transformar o lugar em local de formação de educadores e estudantes propensos a encontrarem novos conhecimentos relacionados à ciência, tecnologia, engenharia, matemática e sustentabilidade pessoal.

Espero que o projeto chame a atenção da comunidade acadêmica para esse tema e que possamos apresentar os resultados de nossas pesquisas e estudos desenvolvidos”, são as expectativas da jovem Thalita Vianna, uma das astronautas selecionadas para participar das missões no Habitat Marte. Ela é estudante do curso de Geofísica da UFRN e tem como meta dentro do projeto “analisar o solo e a mineralogia das rochas do ambiente semiárido de Caiçara do Rio do Vento para comparar com o solo árido do planeta Marte, pois ambos possuem escassez de recursos”.

Ela participará da missão junto com os estudantes Diogo Borges da Silva, do curso de Geologia, e Pedro Cabral, de Física. Juntos, os três, com apoio do professor Julio Rezende, vão fazer da experiência de habitar Marte um momento de aprendizado. Durante as 48 horas da simulação, os participantes vão promover, basicamente, seis principais conjuntos de atividades: coletar amostra de solos e minérios; fazer observações astronômicas; promover o desenvolvimento e melhorias dos sistemas do Habitat Marte; fazer atividades operacionais da estação; gerar atividades extra-veiculares; e, por fim, elaborar relatórios.

A missão que acontecerá no Habitat Marte neste fim de semana é apenas a primeira, e outras estão planejadas para o ano de 2018. Por se tratar de uma proposta de estudo inovadora para a região, existem muitos campos do conhecimento que podem ser envolvidos nas futuras atividades da estação de pesquisa. De acordo com o professor Julio Rezende, é importante perceber que o Habitat Marte se propõe a “ser um ator participativo no debate da Agenda para o Desenvolvimento Sustentável e as novas práticas em regiões áridas e semiáridas, trazendo a colaboração com o ambiente, a sociedade e a economia dos territórios”.
Agência de Comunicação da UFRN

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

APODI: Mulher dá a luz a uma Criança dentro de um carro

Há tempos prometi para mim mesmo deixar de falar aqui sobre os desmandos do Apodi. Tenho cumprido. Mas, hoje um fato me chamou atenção e é impossível não narrá-lo aqui.

Desde que convênio entre a PMA e a maternidade Claudina Pinto do Apodi deixou de existir, mães de Apodi, bem como de outros municípios que usavam os serviços da maternidade, ficaram um tanto quanto órfãos no que diz respeito à natalidade.
Na tarde deste domingo, 08, um fato triste se deu aqui em Apodi com relação a natalidade. Uma mulher deu a luz dentro de um carro aqui na cidade do Apodi. Um fato triste. Como a maternidade Claudina Pinto faz falta a uma população de 35 mil habitantes e para a região. Lamentável que, na atualidade, isso é considerado  agora normal, uma mãe parir dentro de um carro. Até algum tempo não era normal. Se acontecesse o mundo caia.
Que triste. Vir ao mundo em um carro? Acho que todos tem direito de nascer dignamente. Que saudade da atuação daqueles justiceiros que fizeram grande manifestação co…

APODI: DNIT quer demolir residência e desapropriar moradores que se encontram as margens da BR 405 no Distrito de Melancias

D. Mariana Carvalho, que mora no Distrito de Melancias, zona rural do Apodi, Oeste do RN, está aflita. Está prestes a perder sua residência e ser desapropriada.
O DNIT (Departamento Nacional de Infraestrutura do Trânsito) está querendo demolir sua residência juntamente com a residência do Pr. Gilberto de uma congregação do Distrito.

D. Mariana nos conta que há 01 ano recebeu uma visita do DNIT, notificando sua residência e a residência do Pr. Gilberto. O DNIT alega que sua casa e a do pastor na na área territorial do DNIT.
Ora, qual é esse critério do DNIT para decidir a esse respeito? Dezenas de centenas de casas em Melancias encontram-se as margens da BR 405. Muitas distantes, 05, 07, 10 metros da BR. Em Apodi mesmo, inúmeros estabelecimentos comerciais e casar estão praticamente dentro da BR 405.
Segundo nos relatou D. Mariana, sua residência encontra-se distante 28 metros da BR 405 que corta o Distrito de Melancias. Bem mais distante que diversas outras casas e estabelecimentos comerc…

Vereador Charton Rêgo propõe inclusão do ensino de LIBRAS em escolas do Município

Aconteceu nesta noite de terça-feira 14/11/2017 as 19hs na sede da Câmara Municipal de Apodi-RN, uma reunião convocada pelo Vereador da Política com Seriedade Charton Rêgo. Alunos apodienses do Curso de Libras (UFERSA, Campus Caraúbas) e membros da Comunidade Surda de Apodi, foram convidados para debater sobre o Projeto de Lei 136/2017 de autoria do Vereador Charton Rêgo que propõe a inclusão da Língua Brasileira de Sinais no currículo escolar no âmbito municipal.
A PL (Projeto de Lei) que na sessão desta quinta-feira 16/11/17 será encaminhada as comissões, foi apresentada ao grupo que compareceu a reunião. Se aprovada e posteriormente sancionada pelo Executivo, a partir de 2018 a Secretaria de Educação terá obrigatoriedade de garantir acesso das pessoas surdas à comunicação, à informação e à educação, como rege a legislação federal que determina que uma série de medidas sejam tomadas pelos Estados e Municípios que visem tais garantias.
A PL ainda trata sobre a promoção de cursos de c…