VEREADOR EVANGELISTA AFIRMA QUE FALTA PLANEJAMENTO NA ATUAL GESTÃO

Reprodução facebook.
Na sessão passada da Câmara Municipal de Vereadores de Apodi, houve um amplo e dinâmico debate sobre os pedidos de urgência nos Projetos de Lei enviado pelo Executivo Municipal.

Para orientar os leitores, o Executivo pode enviar os projetos de lei para a câmara com caráter de urgência, porém, os vereadores tem o prazo regimental de 45 dias para analisar os projetos, mesmo sendo de caráter "emergência".

Pois bem, o Prefeito tem enviado diversos projetos de suplementação orçamentária, todos em regime de urgência, pedido que os vereadores possam analisar as pressas esses pedidos. Entretanto, essa atual legislatura, diferentemente das anteriores, tem analisado calmamente os projetos e aprovado mediante comprovação e, responsabilidade nos gastos públicos.

Ao término da sessão, o vereador líder da situação, Jr. Souza (PMDB), solicitou dispensa dos trâmites do projeto que prevê a renovação do pagamento dos bolsistas do IEL.

Vale atentar para dois pontos: o primeiro é que o projeto chegou na semana, em "regime de urgência", pois os contratos só durariam até 31 de agosto. Já o segundo, é que já foi diagnosticado irregularidades na contratação desses bolsistas, e agora, encontra-se sobre investigação dos parlamentares para ser tomado as medidas cabíveis.

Entretanto, para o Vereador Gilvan Alves, líder da bancada do AVANTE na Casa, o que existe é falta de planejamento. "Se há urgência nessa matéria, e sendo o executivo conhecedor dos prazos, por que não enviaram com maior antecedência esse projeto? Falta planejamento?", indagou o vereador Gilvan.

De pronto reforçado pelo vereador situacionista Evangelista (PR). Que de imediato reforçou o pensamento do edil Gilvan. "Concordo plenamente. Foi um erro esse projeto só ter chegado agora, dessa maneira. Foi um erro. É falta de planejamento.", defendeu o vereador Evan.

Já para o Vereador Jr. Carlos, este projeto, assim como outros que já passaram pela Casa, foi alvo de ações politiqueiras, na tentativa de algumas pessoas do Executivo, jogar o povo contra os vereadores.

O fato ocorrido ao término da sessão causou um certo constrangimento para os vereadores situacionistas, pois esse, bem como outros ocorridos, tem demonstrado a falta de preparo e planejamento da gestão municipal. Sempre enviando projetos encima da hora, incompletos, atropelados e superficiais.

O projeto ficou de ser discutido na reunião das Comissões. Mas não deixa de ser mais um vexame para o gestor municipal.
Acompanhe as discursos sobre a matéria fica no facebook
Nota:
Como é homem? Vereador/secretário Lalazinho só vivia reclamando que antes não tinha planejamento. É a vez de mostrar esse planejamento.

Evangelista vê falta de planejamento em projetos do executivo

Comentários

Postagens mais visitadas