EM TEMPO: Operação salt – A festa de natal de quem trabalha como Corregedor-Geral do Tribunal Regional Federal, desembargador federal e advogado oculto deve ser agitada

Reprodução.
Segundo o MPF, Barros Filho atuou na Operação Salt, primeiro como Corregedor-Geral do Tribunal Regional Federal, ao conceder vistas de interceptação telefônica em andamento; em um segundo momento como desembargador federal, para influenciar a favor do habeas corpus para liberar presos nessa operação. Por último, Barros Filho atuou como advogado oculto, prestando serviços irregulares sem respeitar a quarentena e recebendo muito dinheiro para isso.

Espere ai.  Ele foi Corregedor-Geral do Tribunal Regional Federal, desembargador federal e advogado oculto num mesmo processo? A festa de Natal dele deve ser muito badalada fazendo o papel de três pessoas?

Ora, pensando bem existem processos contra políticos, ex-prefeitos (as) ou pessoas influentes que morrem, são engavetados e ninguém sabe mais em que deu. Esse caso que o MPF investiga é apenas um que chegou ao conhecimento do público. Quantos dessa natureza há nos gabinetes ocultos do nosso judiciário?

E pensar que esses juízes, desembargadores ganham uma fortuna para trabalhar e dar o retorno justo a sociedade. Veremos em que isso vai dar.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

CIÊNCIAS: Vale apenas saber - A classificação das aves

EM TEMPO: Alan Silveira continua dando um trato na infraestrutura urbana

CIÊNCIAS: Vale apena saber – Porque quando estamos gripados não sentimos o cheiro nem sabor das coisas?

CIÊNCIAS: Vale apena saber – O funcionamento da bexiga natatório dos peixes