CIÊNCIAS E A SAÚDE: O peixe-zebra implantado com um tumor de câncer pode orientar o tratamento do câncer

As células tumorais humanas (vermelhas) que crescem em um embrião de peixe zebra
podem ajudar os médicos a escolher o tratamento de pacientes com câncer.
Oitenta anos atrás, a bióloga do desenvolvimento, Rita Fior, descobriu que sua mãe, que precisava de tratamento contra o câncer na época, receberia drogas diferentes, dependendo de nada mais do que o hospital que escolheu. Fior ficou surpreso. "Você não sabe se é melhor tomar a droga A ou B", diz ela. "Este é um grande problema." Agora ela está abordando o problema - com um peixe.

Esta semana, Fior, que está no Centro Champalimaud para o Desconhecido em Lisboa, e seus colegas relataram o crescimento de células de tumor humano implantadas em larvas de zebrafish. Cada peixe tornou-se um minúsculo modelo de câncer de um paciente e um teste para tratamentos. Avatares similares de câncer foram criados com camundongos, mas a abordagem da piscina pode ser mais rápida e mais barata, tornando-o acessível para mais pacientes. "O peixe-zebra poderia ter um nicho único [no tratamento do câncer]", diz Leonard Zon, da Harvard Medical School em Boston, que usou o peixe há mais de uma década para estudar como o câncer se desenvolve. 

Para criar avatares de mouse, os pesquisadores implantaram algumas células de câncer de um paciente em roedores que não possuem um sistema imunológico normal e medem se várias drogas destroem os tumores que brotam nos animais. Mas os ratos são caros de criar e normalmente exigem entre 2 e 6 meses para entregar um veredicto.

Os peixes-zebra, que se tornaram amplamente estudados, são mais baratos e mais rápidos para aumentar, mas são evolutivamente mais distantes dos humanos do que os roedores. Então, Fior e seus colegas primeiro determinaram se os tumores humanos se comportavam o mesmo no peixe zebra. Quando os cientistas inseriram células de câncer colorretal humano em embriões de peixe-zebra e permitiram que crescessem por 4 dias, os tumores resultantes apresentaram três características de tumores sólidos humanos: divisão celular rápida, formação de vasos sanguíneos para fornecer nutrientes e a capacidade de se espalhar para outros Locais no corpo.

A equipe então adicionou qualquer um dos dois cocktails de quimioterapia comumente usados para o câncer colorretal para a água dos peixes e descobriu que alguns dos tumores diminuíram e outros não. Esse resultado sugere que os avatares de peixes podem discriminar drogas efetivas e ineficazes. Em seguida, os pesquisadores injetaram células de tumores colorretais de cinco pacientes em diferentes embriões de peixe-zebra e administraram o peixe com a mesma combinação de quimioterapia que os pacientes receberam. Em quatro dos cinco casos, a resposta dos tumores nos avatares do peixe-zebra previu corretamente se os tumores dos pacientes se recuperariam no prazo de 3 meses a 6 meses após a cirurgia, informou a equipe no Procedimento da Academia Nacional de Ciências.

Por causa do tempo necessário para produzir avatares de câncer de mouse, Fior diz, os médicos geralmente os usam para escolher um tratamento de acompanhamento se o primeiro falhar. Mas todas as etapas para a produção de avatares de peixes, desde a implantação dos tumores até a análise dos resultados, levariam apenas 2 semanas a 3 semanas, para que pudessem ser úteis para escolher o tratamento inicial de um paciente, diz ela.

Ela e seus colegas não são os primeiros a tentar criar avatares para câncer de peixe cebra, mas seu trabalho é o mais persuasivo até agora, diz Zon. O oncologista Richard White, do Memorial Sloan Kettering Cancer Center, em Nova York, prevê que os peixes tenham um futuro na personalização do tratamento do câncer. "A vantagem é números simples", diz ele. Para criar avatares de mouse para 1000 pacientes não seria viável, ele diz, "mas fazer isso em peixe é fácil".

Ainda assim, Zon adverte que nem todas as drogas humanas funcionam no peixe-zebra, então "precisamos estudar muito mais pacientes para ver, em uma visão ampla, como essa abordagem funciona". Fior e colegas planejam fazer isso com um grupo maior de colorretais Pacientes com câncer e pacientes com outros tipos de câncer, como o câncer de mama. "Vamos perguntar se damos ao peixe a mesma droga que os pacientes e veremos se obtemos os mesmos resultados", diz Fiori.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

POLICIAL: Acidente na BR 405 centro do Apodi

POLICIAL: Mais um crime de homicídio em Apodi

A saga do Prefeito Alan que só quer culpar os outros

Prefeitura descumpre sua parte e ainda não fez repasse a APAMI

Vereador Charton Rêgo propõe inclusão do ensino de LIBRAS em escolas do Município