Pular para o conteúdo principal

CERES: Cordelteca da UFRN abriga mais de dois mil títulos e promove cultura popular

Vinte quatro de novembro/ Foi lá na Universidade/ Um grande feito foi feito/ Que me deu felicidade/ criou-se uma Cordelteca/ Na maior tranquilidade/ .../ Agora muito contente/ Tenho aonde pesquisar/ Um ambiente sagrado/ para o Cordel estudar/ os poetas de Caicó/ Já podem comemorar

Fotos: Wallacy Medeiros. Espaço possui cerca de 2500 títulos que estão sendo
catalogados e já se consagra como um dos maiores acervos
de Cordel do Nordeste. Clique para ampliar.
Por Juliana Holanda

Cordelista potiguar Agostinho Francisco dos Santos sobre a inauguração da Cordelteca Poeta Djalma Mota da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN).

Localizada no Centro de Ensino Superior do Seridó (Ceres), em Caicó, a Cordelteca é a única do Brasil que possui um Cordel explicando seu nascimento. O espaço possui cerca de 2500 títulos que estão sendo catalogados e já se consagra como um dos maiores acervos de Cordel do Nordeste. 

Há, inclusive, edições históricas das décadas de 1930 e 1940 que são consideradas o pontapé inicial para a criação da Cordelteca. As obras foram doadas à universidade pelo monsenhor Ausônio Tércio de Araújo, enquanto esteve na diocese de Caicó.

A maior parte dos livretos chegou à UFRN por meio de doações. Para ajudar na popularização do Cordel, o poeta homenageado Djalma Mota, por exemplo, doou mais de 600 títulos do seu acervo pessoal. “Houve doações de particulares e de instituições como a Academia Brasileira de Literatura de Cordel e a Associação de Trovadores do Seridó”, afirma o coordenador da Cordelteca e professor do Departamento de História do Ceres, Lourival Andrade Júnior.

Natural do Rio Grande do Sul, Lourival Júnior conta que só conheceu o Cordel em 2009, quando foi morar em Caicó, e se interessou tanto pelo gênero literário que baseou o pós-doutorado no tema. “O folheto de Cordel é uma fonte histórica extremamente importante. É um objeto que pode ser utilizado para entender a história, sobretudo nordestina”, destaca.

Outro coordenador da Cordelteca, o professor do Departamento de História do Ceres, Joel Carlos de Souza Andrade, conta que foi alfabetizado no interior da Paraíba, lendo cordéis em casa. “Meu envolvimento com o Cordel vem de longas datas. Devo meu letramento ao Cordel”, relembra.

Joel Andrade acredita que a Cordelteca é um espaço que interessa ao público em geral, além de cordelistas e de pesquisadores de todo o Brasil. “Nosso acervo possui obras variadas. Queremos incentivar a pesquisa sobre esse gênero literário que é tão importante para a cultura nordestina”, explica.

Apesar de inaugurada em novembro de 2016, o local precisa de reforma e os cordéis ainda não podem ser consultados pelo público externo. “Estamos tentando mudar o acervo para um lugar mais adequado. A ideia é que a Cordelteca seja transformada em um espaço de pesquisa e que as obras sejam utilizadas como material didático e como fonte histórica”, explica Lourival Júnior.

Djalma Mota, poeta que dá nome à Cordelteca, foi eleito por cordelistas da região do Seridó potiguar para ter seu nome imortalizado no espaço. A eleição também foi contada no cordel de Agostinho Francisco dos Santos: “Sem ninguém interferir/ O nome foi escolhido/ Poeta ‘Djalma Mota’/ Por sinal bem merecido/ No meio dos cordelistas/ Foi muito bem recebido/ Um poeta conhecido/ Do Cordel protagonista/ Na cidade de Caicó/ É o primeiro da lista/ Além de ser um poeta/ É também radialista/ É um grande cordelista/ Da arte é merecedor/ Na oficina de Cordel/ Nosso mestre e professor/ E nos braços da poesia/ Terá sempre o seu andor”.

Interessados em conhecer mais sobre o trabalho ou em realizar doações para a Cordelteca Poeta Djalma Mota da UFRN devem entrar em contato com o coordenador Lourival Andrade Júnior pelo e-mail: lourivalandradejr@yahoo.com.br.
Agência de Comunicação da UFRN

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

APODI: Mulher dá a luz a uma Criança dentro de um carro

Há tempos prometi para mim mesmo deixar de falar aqui sobre os desmandos do Apodi. Tenho cumprido. Mas, hoje um fato me chamou atenção e é impossível não narrá-lo aqui.

Desde que convênio entre a PMA e a maternidade Claudina Pinto do Apodi deixou de existir, mães de Apodi, bem como de outros municípios que usavam os serviços da maternidade, ficaram um tanto quanto órfãos no que diz respeito à natalidade.
Na tarde deste domingo, 08, um fato triste se deu aqui em Apodi com relação a natalidade. Uma mulher deu a luz dentro de um carro aqui na cidade do Apodi. Um fato triste. Como a maternidade Claudina Pinto faz falta a uma população de 35 mil habitantes e para a região. Lamentável que, na atualidade, isso é considerado  agora normal, uma mãe parir dentro de um carro. Até algum tempo não era normal. Se acontecesse o mundo caia.
Que triste. Vir ao mundo em um carro? Acho que todos tem direito de nascer dignamente. Que saudade da atuação daqueles justiceiros que fizeram grande manifestação co…

APODI: DNIT quer demolir residência e desapropriar moradores que se encontram as margens da BR 405 no Distrito de Melancias

D. Mariana Carvalho, que mora no Distrito de Melancias, zona rural do Apodi, Oeste do RN, está aflita. Está prestes a perder sua residência e ser desapropriada.
O DNIT (Departamento Nacional de Infraestrutura do Trânsito) está querendo demolir sua residência juntamente com a residência do Pr. Gilberto de uma congregação do Distrito.

D. Mariana nos conta que há 01 ano recebeu uma visita do DNIT, notificando sua residência e a residência do Pr. Gilberto. O DNIT alega que sua casa e a do pastor na na área territorial do DNIT.
Ora, qual é esse critério do DNIT para decidir a esse respeito? Dezenas de centenas de casas em Melancias encontram-se as margens da BR 405. Muitas distantes, 05, 07, 10 metros da BR. Em Apodi mesmo, inúmeros estabelecimentos comerciais e casar estão praticamente dentro da BR 405.
Segundo nos relatou D. Mariana, sua residência encontra-se distante 28 metros da BR 405 que corta o Distrito de Melancias. Bem mais distante que diversas outras casas e estabelecimentos comerc…

Vereador Charton Rêgo propõe inclusão do ensino de LIBRAS em escolas do Município

Aconteceu nesta noite de terça-feira 14/11/2017 as 19hs na sede da Câmara Municipal de Apodi-RN, uma reunião convocada pelo Vereador da Política com Seriedade Charton Rêgo. Alunos apodienses do Curso de Libras (UFERSA, Campus Caraúbas) e membros da Comunidade Surda de Apodi, foram convidados para debater sobre o Projeto de Lei 136/2017 de autoria do Vereador Charton Rêgo que propõe a inclusão da Língua Brasileira de Sinais no currículo escolar no âmbito municipal.
A PL (Projeto de Lei) que na sessão desta quinta-feira 16/11/17 será encaminhada as comissões, foi apresentada ao grupo que compareceu a reunião. Se aprovada e posteriormente sancionada pelo Executivo, a partir de 2018 a Secretaria de Educação terá obrigatoriedade de garantir acesso das pessoas surdas à comunicação, à informação e à educação, como rege a legislação federal que determina que uma série de medidas sejam tomadas pelos Estados e Municípios que visem tais garantias.
A PL ainda trata sobre a promoção de cursos de c…