Pular para o conteúdo principal

Jovens usam documentos de idosos para fraudar direito à meia entrada em corridas de rua

Foto: Assessoria ideia
Organizadores de corridas de rua constataram que jovens estão utilizando documentos de idosos para fraudar o direito da meia entrada no momento da inscrição das competições. Essas pessoas têm agido dessa forma para usufruir do direito conquistado no Estatuto do Idoso, que assegura o desconto de 50% no pagamento de ingressos para eventos em geral a pessoas a partir dos 60 anos de idade. Tal irregularidade tem sido acompanhada com a ajuda da tecnologia, por meio de mecanismos criados pelas empresas organizadoras para tentar coibir fraudes.

Em época de início de inscrições para a 4ª edição da Meia Maratona do Sol, a organização já identificou mais de 80 pessoas inscritas como idosos. A organização da competição já está averiguando se, de fato, esses corredores têm realmente mais de 60 anos de idade para poder se beneficiar do direito à meia entrada.

Para coibir esse tipo de fraude, a partir de agora, além de comprovar a 'maioridade' no momento de inscrição, o atleta idoso também terá que apresentar documento comprovando sua faixa etária no ato do recebimento do kit, como também no dia da prova para poder ter acesso à largada. O número de peito dos idosos será caracterizado de forma diferenciada para auxiliar a arbitragem a identificar as fraudes e, ainda assim, durante a competição, os atletas que forem flagrados cometendo a irregularidade poderão responder a processo criminal.

Na Corrida Soldados do Fogo, que ocorreu no início de julho, a irregularidade foi constatada em fotos. Em 2016, 50 pessoas se inscreveram como idosas na competição; em 2017, mais de 200 corredores declararam se enquadrar no perfil, sendo que mais de 80 foram identificados como fraude e inclusive serão notificados judicialmente, de forma individual. A mesma situação ocorreu de forma semelhante na Corrida Miranda e no Circuito de Corridas Farmácias Pague Menos.

A coordenação jurídica da corrida está entrando em contato com os participantes que se inscreveram irregularmente, realizando a confirmação dos dados, para evitar que pessoas, incluindo idosos 'reais' sintam-se prejudicadas”, afirma Nivaldo Pereira, um dos organizadores da Meia do Sol. Nesse sentido, a organização da corrida pretende regularizar a situação caso a caso.

Outro detalhe importante relativo ao uso de dados corretos e pessoais no momento da inscrição é que o atleta fica assegurado pelo seguro de vida contratado pela prova. Em caso de necessidade de atendimento médico de urgência e emergência, o atleta é direcionado em ambulância para hospital particular credenciado pela corrida. “Caso o atleta precise de atendimento e seus dados não sejam os que ele cadastrou no momento da inscrição, ele perde o direito a esse atendimento, o que gera um transtorno sem tamanho para a pessoa”, complementa Nivaldo.

Enviado por Ideia comunicação

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

APODI: Mulher dá a luz a uma Criança dentro de um carro

Há tempos prometi para mim mesmo deixar de falar aqui sobre os desmandos do Apodi. Tenho cumprido. Mas, hoje um fato me chamou atenção e é impossível não narrá-lo aqui.

Desde que convênio entre a PMA e a maternidade Claudina Pinto do Apodi deixou de existir, mães de Apodi, bem como de outros municípios que usavam os serviços da maternidade, ficaram um tanto quanto órfãos no que diz respeito à natalidade.
Na tarde deste domingo, 08, um fato triste se deu aqui em Apodi com relação a natalidade. Uma mulher deu a luz dentro de um carro aqui na cidade do Apodi. Um fato triste. Como a maternidade Claudina Pinto faz falta a uma população de 35 mil habitantes e para a região. Lamentável que, na atualidade, isso é considerado  agora normal, uma mãe parir dentro de um carro. Até algum tempo não era normal. Se acontecesse o mundo caia.
Que triste. Vir ao mundo em um carro? Acho que todos tem direito de nascer dignamente. Que saudade da atuação daqueles justiceiros que fizeram grande manifestação co…

APODI: DNIT quer demolir residência e desapropriar moradores que se encontram as margens da BR 405 no Distrito de Melancias

D. Mariana Carvalho, que mora no Distrito de Melancias, zona rural do Apodi, Oeste do RN, está aflita. Está prestes a perder sua residência e ser desapropriada.
O DNIT (Departamento Nacional de Infraestrutura do Trânsito) está querendo demolir sua residência juntamente com a residência do Pr. Gilberto de uma congregação do Distrito.

D. Mariana nos conta que há 01 ano recebeu uma visita do DNIT, notificando sua residência e a residência do Pr. Gilberto. O DNIT alega que sua casa e a do pastor na na área territorial do DNIT.
Ora, qual é esse critério do DNIT para decidir a esse respeito? Dezenas de centenas de casas em Melancias encontram-se as margens da BR 405. Muitas distantes, 05, 07, 10 metros da BR. Em Apodi mesmo, inúmeros estabelecimentos comerciais e casar estão praticamente dentro da BR 405.
Segundo nos relatou D. Mariana, sua residência encontra-se distante 28 metros da BR 405 que corta o Distrito de Melancias. Bem mais distante que diversas outras casas e estabelecimentos comerc…

Vereador Charton Rêgo propõe inclusão do ensino de LIBRAS em escolas do Município

Aconteceu nesta noite de terça-feira 14/11/2017 as 19hs na sede da Câmara Municipal de Apodi-RN, uma reunião convocada pelo Vereador da Política com Seriedade Charton Rêgo. Alunos apodienses do Curso de Libras (UFERSA, Campus Caraúbas) e membros da Comunidade Surda de Apodi, foram convidados para debater sobre o Projeto de Lei 136/2017 de autoria do Vereador Charton Rêgo que propõe a inclusão da Língua Brasileira de Sinais no currículo escolar no âmbito municipal.
A PL (Projeto de Lei) que na sessão desta quinta-feira 16/11/17 será encaminhada as comissões, foi apresentada ao grupo que compareceu a reunião. Se aprovada e posteriormente sancionada pelo Executivo, a partir de 2018 a Secretaria de Educação terá obrigatoriedade de garantir acesso das pessoas surdas à comunicação, à informação e à educação, como rege a legislação federal que determina que uma série de medidas sejam tomadas pelos Estados e Municípios que visem tais garantias.
A PL ainda trata sobre a promoção de cursos de c…