Jovens usam documentos de idosos para fraudar direito à meia entrada em corridas de rua

Foto: Assessoria ideia
Organizadores de corridas de rua constataram que jovens estão utilizando documentos de idosos para fraudar o direito da meia entrada no momento da inscrição das competições. Essas pessoas têm agido dessa forma para usufruir do direito conquistado no Estatuto do Idoso, que assegura o desconto de 50% no pagamento de ingressos para eventos em geral a pessoas a partir dos 60 anos de idade. Tal irregularidade tem sido acompanhada com a ajuda da tecnologia, por meio de mecanismos criados pelas empresas organizadoras para tentar coibir fraudes.

Em época de início de inscrições para a 4ª edição da Meia Maratona do Sol, a organização já identificou mais de 80 pessoas inscritas como idosos. A organização da competição já está averiguando se, de fato, esses corredores têm realmente mais de 60 anos de idade para poder se beneficiar do direito à meia entrada.

Para coibir esse tipo de fraude, a partir de agora, além de comprovar a 'maioridade' no momento de inscrição, o atleta idoso também terá que apresentar documento comprovando sua faixa etária no ato do recebimento do kit, como também no dia da prova para poder ter acesso à largada. O número de peito dos idosos será caracterizado de forma diferenciada para auxiliar a arbitragem a identificar as fraudes e, ainda assim, durante a competição, os atletas que forem flagrados cometendo a irregularidade poderão responder a processo criminal.

Na Corrida Soldados do Fogo, que ocorreu no início de julho, a irregularidade foi constatada em fotos. Em 2016, 50 pessoas se inscreveram como idosas na competição; em 2017, mais de 200 corredores declararam se enquadrar no perfil, sendo que mais de 80 foram identificados como fraude e inclusive serão notificados judicialmente, de forma individual. A mesma situação ocorreu de forma semelhante na Corrida Miranda e no Circuito de Corridas Farmácias Pague Menos.

A coordenação jurídica da corrida está entrando em contato com os participantes que se inscreveram irregularmente, realizando a confirmação dos dados, para evitar que pessoas, incluindo idosos 'reais' sintam-se prejudicadas”, afirma Nivaldo Pereira, um dos organizadores da Meia do Sol. Nesse sentido, a organização da corrida pretende regularizar a situação caso a caso.

Outro detalhe importante relativo ao uso de dados corretos e pessoais no momento da inscrição é que o atleta fica assegurado pelo seguro de vida contratado pela prova. Em caso de necessidade de atendimento médico de urgência e emergência, o atleta é direcionado em ambulância para hospital particular credenciado pela corrida. “Caso o atleta precise de atendimento e seus dados não sejam os que ele cadastrou no momento da inscrição, ele perde o direito a esse atendimento, o que gera um transtorno sem tamanho para a pessoa”, complementa Nivaldo.

Enviado por Ideia comunicação

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Repórter Wilson Oliveira me passou informações preocupantes sobre situação da maternidade Claudina Pinto

Nota de esclarecimento

Vereador Gilvan Alves doa um mês de salário e, consegue revitalizar Caixa D'água de comunidade do Góis

CHARTON AVISA: “Para desespero de quem não tem zelo com o dinheiro público continuarei determinado no meu papel fiscalizador”, avisa Charton