Mesmo oficialmente fora Henrique Alves continuou casando e batizando no governo Temer

Reprodução.
De acordo com as investigações da operação Manus revelaram que o ex-ministro Henrique Eduardo Alves (PMDB) manteve influência no governo federal mesmo após deixar o ministério do Turismo, em junho de 2016.

Segundo o procurador federal Rodrigo Telles Henrique continuou tendo trânsito livre, marcando reuniões, indicando pessoas e influenciando em ministérios.

"Foi apreendido celular de Henrique Alves e foram encontradas diversas mensagens já de 2017 com indícios de prática de tráfico de influência em diversos ministérios. O ex-ministro pediu exoneração do cargo, mas não deixou de ter influência no governo federal", disse o procurador.

"Desde que pediu exoneração, justamente por ser investigado, ele fez viagens semanais a Brasília. Indica que ele continuava a desenvolver suas atividades criminosas. Isso reforça a necessidade da prisão dos ex-deputados. Está patente que as atividades eram intensas", disse o procurador Fernando Rocha de Andrade.


CLIQUE AQUI nesse link e veja na íntegra o teor das denuncias oferecidas pelo MPF. 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Repórter Wilson Oliveira me passou informações preocupantes sobre situação da maternidade Claudina Pinto

Nota de esclarecimento

Vereador Gilvan Alves doa um mês de salário e, consegue revitalizar Caixa D'água de comunidade do Góis

CHARTON AVISA: “Para desespero de quem não tem zelo com o dinheiro público continuarei determinado no meu papel fiscalizador”, avisa Charton