Mesmo oficialmente fora Henrique Alves continuou casando e batizando no governo Temer

Reprodução.
De acordo com as investigações da operação Manus revelaram que o ex-ministro Henrique Eduardo Alves (PMDB) manteve influência no governo federal mesmo após deixar o ministério do Turismo, em junho de 2016.

Segundo o procurador federal Rodrigo Telles Henrique continuou tendo trânsito livre, marcando reuniões, indicando pessoas e influenciando em ministérios.

"Foi apreendido celular de Henrique Alves e foram encontradas diversas mensagens já de 2017 com indícios de prática de tráfico de influência em diversos ministérios. O ex-ministro pediu exoneração do cargo, mas não deixou de ter influência no governo federal", disse o procurador.

"Desde que pediu exoneração, justamente por ser investigado, ele fez viagens semanais a Brasília. Indica que ele continuava a desenvolver suas atividades criminosas. Isso reforça a necessidade da prisão dos ex-deputados. Está patente que as atividades eram intensas", disse o procurador Fernando Rocha de Andrade.


CLIQUE AQUI nesse link e veja na íntegra o teor das denuncias oferecidas pelo MPF. 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Vereador Charton Rêgo propõe inclusão do ensino de LIBRAS em escolas do Município

POLICIAL: Mais um crime de homicídio em Apodi

DENUNCIA GRAVE CONTRA O PREFEITO É PROTOCOLADA

Prefeito Alan rebate denúncia sobre suposta contratação irregular e destaca: “ele vai ter que provar na Justiça”

PRESTAR INFORMAÇÕES FALSAS É CRIME E USO DA MÁ FÉ NA GESTÃO PÚBLICA