Pesquisa revela sucesso profissional de egressos da UFRN

Por Marina Gadelha

A Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) divulgou a nova pesquisa com egressos dos cursos de graduação entre os anos de 2010 e 2014, fruto da coleta de dados realizada em 2015.

No universo dos 4.045 respondentes, que representam 22,7% do total, quase 70% estão trabalhando e, destes, 72,8% atuam na área de formação. A pós-graduação é cursada por 46,1% dos egressos – 44,3% estudam especialização, 43,5% mestrado e 12,2% doutorado – e 20,6% iniciaram uma segunda graduação, sendo esta cursada na UFRN por 86,5% do total. Dos que estão na pós-graduação, estudam na UFRN 38,6% dos que cursam especialização, 87,2% dos alunos de mestrado e 72,4% dos doutorandos.

Os respondentes à pesquisa realizada sob a responsabilidade da Pró-Reitoria de Planejamento (Proplan) têm idade média de 29,3 anos, divididos entre 50,7% mulheres e 49,3% homens, com a maioria formada em 2014 – 29% do total. Esta é a segunda edição da coleta de dados, também realizada em 2013 com os egressos de 2008 a 2012.

No comparativo com este primeiro levantamento, os dados de 2015 revelam que mais estudantes moram em outros países: enquanto na primeira pesquisa eram apontadas moradias em nove países distintos, o número pulou para 19 no levantamento mais recente. Apesar disso, quase a totalidade dos egressos está no Brasil, numa faixa de 98,7%, distribuídos entre 24 estados e 219 cidades. Do total, 90,4% continuam no Rio Grande do Norte e 56,6% estão em Natal.

As duas pesquisas apresentaram números quase iguais em questões como a contribuição da formação para o desenvolvimento no trabalho, considerada alta por 86,6% dos egressos de 2008 a 2012 e por 86,3% dos egressos de 2010 a 2014. O desejo de retornar à UFRN para outras atividades foi confirmado por 96,5% dos respondentes de 2015, em contrapartida aos 96,3% de 2013.

Por fim, registramos crescimento entre os que consideram alta a imagem da UFRN, com um pequeno salto de 94,8% para 95,9%. Isso comprova que a instituição é considerada de qualidade pelos seus egressos”, assinala o assessor da Proplan e responsável pela condução de pesquisas, professor Márcio Capriglioni. Para a reitora da UFRN, Ângela Maria Paiva Cruz, os resultados corroboram o cumprimento da missão institucional.

Márcio Capriglioni destaca que novos elementos foram inseridos nesta última coleta de dados. Além de especificidades sobre graduação e pós-graduação, surgem novos dados como a quantidade de egressos beneficiados por bolsas durante a graduação. Do total de respondentes, 66,4% receberam algum tipo de bolsa, seja de pesquisa, extensão, monitoria, apoio técnico, entre outras. O levantamento trouxe ainda a informação inédita de que 59,5% dos egressos possuem ocupação em instituições públicas e 40,5% em instituições privadas.

Terceira coleta de dados
Prevista entre as competências da Comissão Própria de Avaliação (CPA) na Lei nº 10.861/2004, a pesquisa com os egressos é regulamentada na UFRN pela Resolução nº 079/2004 do Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão (Consepe), que aprova o projeto de autoavaliação da instituição. A coleta de dados é realizada sempre no segundo semestre dos anos ímpares, desde 2013, e após a tabulação é disponibilizada para a comunidade interna e externa.

A pesquisa de 2010 a 2014 está na fase de apresentação nas unidades acadêmicas e será publicada em junho para acesso livre no Portal do Egresso: www.portaldoegresso.ufrn.br. No segundo semestre deste ano, haverá a coleta de dados da terceira pesquisa, que abrangerá os egressos de 2012 a 2016.

ASCOM – Reitoria/UFRN

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Repórter Wilson Oliveira me passou informações preocupantes sobre situação da maternidade Claudina Pinto

Nota de esclarecimento

Vereador Gilvan Alves doa um mês de salário e, consegue revitalizar Caixa D'água de comunidade do Góis

CHARTON AVISA: “Para desespero de quem não tem zelo com o dinheiro público continuarei determinado no meu papel fiscalizador”, avisa Charton