Município do Apodi tem que cuidar em retomar a obra do PAF se não entrará em descrédito junto à inciativa privada

Obra paralisada e abandonada. 
Obra que abrigaria a sede do PAF. Os recursos foram conseguidos junto a inciativa privada. Ai está uma coisa que a gente não vê todo dia rapaz. Um município ganhar a confiança de uma empresa privada como o SANTANDER.

Salvo engano foram R$ 350 mil conseguidos junto à entidade privada para financiar a obra mais contrapartida do município. O programa seria de extrema de importância para as famílias apodienses carentes que necessitam dos serviços do PAF.

A obra foi iniciada na gestão anterior a atual, onde, na oportunidade a obra andou relativamente bem. Os poderes constituídos atuais não deram continuada a obra até então, que por quanto, engrossam as fileiras de obras paradas em nosso Apodi. Não se sabe ao certo os motivos da paralisação. Municipalidade não se pronunciou oficialmente ainda. Pena. supostamente ao que tudo indica o povo gosta assim mesmo. 

Planta: como o prédio ficaria caso concluído. 
Teoricamente não justifica a obra do PAF está paralisada porque se deixou os recursos em caixa e com todos os trâmites burocráticos em dia, até onde fui informado e, o pior de tudo, é o descrédito que o município está ganhando frente à iniciativa privada caso a situação persista. 

Uma empresa privada não é como a união, por exemplo. Se os recursos não forem devidamente aplicados, acredita-se que tudo será sustado. Lamentável se isso vier a acontecer.

Essa obra se encontra no barro lagoa seca, um dos mais carentes da cidade. A obra iria servir para valorizar o local também. 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Vereador Charton Rêgo propõe inclusão do ensino de LIBRAS em escolas do Município

Lei N. 10. 246/2017 para política de conscientização sobre lúpus leva o nome em homenagem a apodiense Ellaíne Torres

DENUNCIA GRAVE CONTRA O PREFEITO É PROTOCOLADA

Prefeito Alan rebate denúncia sobre suposta contratação irregular e destaca: “ele vai ter que provar na Justiça”

PRESTAR INFORMAÇÕES FALSAS É CRIME E USO DA MÁ FÉ NA GESTÃO PÚBLICA