AMBIENTE: Rachadura crescente na Antártida pode criar iceberg 300 mil vezes maior que o do Titanic

Reprodução. 
Por Tom James

Uma rachadura que poderia criar um iceberg do tamanho do Estado norte-americano do Delaware, e desestabilizar uma das maiores plataformas de gelo da Antártida, expandiu-se e começou a se ampliar mais rapidamente, alertou um cientista na quarta-feira.

A nova fissura se voltou para a face oceânica da plataforma, o que pode acelerar o processo de rompimento do iceberg, disse Dan McGrath, geofísico da Agência Geológica dos Estados Unidos e parceiro de um projeto com o grupo de monitoramento ProjectMidas, que tem sede no Reino Unido e relatou a nova rachadura na segunda-feira.

"Basicamente ela está fazendo uma curva acentuada rumo à frente em ruptura", disse McGrath, usando um termo técnico para descrever o lado da plataforma de gelo voltado para o oceano.

Faz sentido ligar o evento e o encolhimento das plataformas de gelo da Antártida ao aquecimento global, disse Richard Alley, especialista em glaciologia da Universidade Penn State sem conexão com o projeto.

A grande maioria dos cientistas diz que a atividade humana –incluindo a queima de petróleo, gás e carvão– é o principal catalisador do aumento das temperaturas globais. Localizada na plataforma de gelo Larsen C, a quarta maior da Antártida, a nova rachadura é derivada de uma ruptura que chamou atenção depois de crescer de forma alarmante em 2014, e no ano passado se previu que ela irá causar a separação de um iceberg de 5 mil quilômetros quadrados dentro de alguns anos.

Em comparação, o tamanho projetado do iceberg é mais de 300 mil vezes superior ao do iceberg de 125 metros que provocou o naufrágio do Titanic, o que faz dele um dos maiores já registrados.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Repórter Wilson Oliveira me passou informações preocupantes sobre situação da maternidade Claudina Pinto

Vereador Gilvan Alves doa um mês de salário e, consegue revitalizar Caixa D'água de comunidade do Góis

Nota de esclarecimento

ENTREVISTA: Professor Bruno Coriolano concede entrevista ao Blog