Espetáculo da Paixão de Cristo em Apodi deve reunir 15 mil pessoas neste ano

Reprodução. Assessoria comunicação
Por Josemário Alves

O tradicional espetáculo da Paixão de Cristo, que acontece anualmente no sítio do Góis em Apodi, chega a esse ano na sua 11ª edição. Com muitas novidades e efeitos especiais, o evento deve reunir cerca de 15 mil espectadores nos dois dias de apresentação, segundo a organização.

Idealizado pela própria comunidade do Góis com o objetivo de unir os moradores, o espetáculo já entrou no calendário cultural do município de Apodi. Neste ano, mais de 100 pessoas estão envolvidas com a encenação, produção e montagem dos cenários. Todos eles são da região do Polo Góis.

De acordo com o diretor geral Dulcivan Fernandes, que integra o grupo Arte-e-ria, o público pode esperar uma Paixão de Cristo totalmente reformulada e cheia de novidades. “O diferencial deste ano é a inovação em tecnologia. Todas as cenas tiveram modificações. O pessoal pode esperar tudo diferente, com iluminação, sonorização e efeitos especiais”, disse.

O espetáculo será apresentado na quinta e sexta-feira santa, 13 e 14 de abril, e terá duração de uma hora e meia. A encenação iniciará a partir das 19h e tem entrada gratuita.

Montagem dos cenários
A Paixão de Cristo do sítio do Góis será apresentado em quatro cenários diferentes, são eles: Palácio de Herodes, Sermão da Montanha, Pilates e Caifaz.

Para montá-los, o grupo organizador utilizou madeira e materiais recicláveis. Neste ano, a Prefeitura de Apodi contribuiu com maquinários para elevar os cenários, tornando o espetáculo melhor para assistir. Ainda foi cedido pelo poder público o som, a iluminação, divulgação e transportes.

Esse evento tem grande importância para a nossa cultura e o Município tem todo interesse em apoiá-lo. Não tenho dúvidas que será um sucesso. Esperamos que no próximo ano possamos ampliar esta nossa parceria”, declarou o prefeito Alan Silveira.

Para confecção dos figurinos e outros detalhes, o grupo realizou bingos e campanhas na comunidade com o intuito de arrecadar dinheiro. Todo esse trabalho de preparação teve início em novembro do ano passado, segundo o diretor Dulcivan Fernandes.

Aqui todo mundo se une com o mesmo objetivo, que é realizar esse espetáculo grandioso”, declarou Dulcivan.

Apresentação e emoção
São cinco meses de muito trabalho e dedicação para colocar o espetáculo no ar. Os agricultores residentes na região do Polo Góis se transformam em atores, produtores e figurinistas. Todos com o mesmo objetivo.

O trabalho é árduo, mas acabe sendo compensado quando chega o grande dia. A emoção toma conta de todos. Como por exemplo do agricultor e professor Francisco Américo, que faz o papel do Jesus Cristo há 11 anos.

Ele contou que, mesmo interpretando o Cristo há tanto tempo, sempre se emociona com os espetáculos. “São momentos mágicos, uma emoção muito grande. Na hora de entrar em cena, eu me arrepio todo. É muito emocionante”, disse.

Além de encenar, Francisco Américo também ajuda na montagem dos cenários. Ele diz que são cinco meses de muito trabalho que acaba se tornando cansativo, mas quando conclui fica o sentimento de dever cumprido e grandes lições para a comunidade.

Uma lição que fica é a superação. Nós temos uma política muito acirrada por exemplo, mas quando vem o espetáculo, todo mundo se une. Também tem a renovação da nossa fé, ou seja, a nossa Paixão de Cristo traz muitos benefícios e deixa muitas lições”, conclui.
Assessoria de Comunicação Integrada

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

FESTA: Rio Apodi amanheceu de barreira a barreira, lagoa do Apodi tomando muita agua

EITA PIULA: Ex-secretário de turismo Júnior Costa desmente matéria da assessoria de Alan e mostra provas

NATUREZA: Praticamente 10 anos depois a Lagoa do Apodi volta a ter um grande volume d’água