SOU UMA MULHER DE CORAGEM: Campanha leva mulheres às ruas na luta por direitos

Foto: Divulgação.
Por Carlos Henrique Silva

Já está no ar a 5ª edição da campanha “Sou Uma Mulher de Coragem”, promovida pela Diaconia junto a igrejas, organizações parceiras e grupos de mulheres. Como o tema “Vou às ruas defender direitos”, a campanha pretende sensibilizar, despertar e motivar mulheres de Igrejas a ocuparem espaços públicos de reivindicação e decisão, na garantia de direitos e na denúncia de violências.

Este ano, a campanha se desenvolve em meio a mudanças nos contextos político e econômico no Brasil e no mundo, que têm trazido ameaças de perdas de direitos às mulheres da cidade e do campo. Um dos riscos é a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 287, conhecida como ‘Reforma da Previdência’: “As medidas previstas significam o retrocesso das conquistas dos movimentos de mulheres. Igualando a idade mínima de aposentadoria em comparação com os homens, a proposta penaliza as mulheres rurais, ao desconsiderar o volume, as condições de trabalho diário e a idade em que estas trabalhadoras começam a contribuir na produção familiar, já que elas têm uma dupla jornada de trabalho”, afirma à assessora político-pedagógica Risoneide Lima.

No Oeste Potiguar, a campanha realiza visitas a igrejas e espaços públicos, promovendo oficinas de sensibilização e ações de mobilização das mulheres pelos direitos previdenciários. Os encontros, que já iniciaram nos dias 3 e 4, acontecem em comunidades urbanas e rurais dos municípios de Caraúbas e Umarizal, culminando em ações de rua e uma audiência pública.

As mulheres também apresentam outras pautas. Embora muitos avanços tenham sido alcançados com a Lei Maria da Penha (Lei nº 11.340/2006), ainda assim o Brasil ocupa o 5º lugar no ranking de países em assassinato de mulheres (feminicídio). Segundo o Mapa da Violência 2015, 50,3% dos casos de assassinatos contra mulheres foram cometidos por familiares, em sua maioria parceiros ou ex-parceiros. Muitas delas ainda convivem com o agressor, pela dependência econômica, de moradia e/ou a ausência de estruturas de acolhimento às vítimas.

Confira a agenda de atividades:
08 - Participação no ato de Rua em Mossoró (Marcha Mundial das Mulheres)
11 - Oficina de sensibilização de mulheres de igrejas e comunidades urbanas e rurais de Caraúbas e Umarizal
15 - Ação de rua (caminhada pelas ruas de Umarizal)
21 - Audiência Pública na Câmara de Vereadores de Umarizal
D I A C O N I A – Assessor de Comunicação

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Vereador Charton Rêgo propõe inclusão do ensino de LIBRAS em escolas do Município

Lei N. 10. 246/2017 para política de conscientização sobre lúpus leva o nome em homenagem a apodiense Ellaíne Torres

DENUNCIA GRAVE CONTRA O PREFEITO É PROTOCOLADA

Prefeito Alan rebate denúncia sobre suposta contratação irregular e destaca: “ele vai ter que provar na Justiça”

PRESTAR INFORMAÇÕES FALSAS É CRIME E USO DA MÁ FÉ NA GESTÃO PÚBLICA