Pular para o conteúdo principal

Os tipos mais comuns de violência praticados contra as mulheres são física, sexual e psicológica

Psicóloga Naara de Góis Rebouças 
Por Magnos Alves

No Dia Internacional da Mulher, a psicóloga Naara Rebouças, do Hapvida, fala sobre os tipos de violência praticados conta as mulheres e como identificar o perfil dos agressores. Naara também orienta sobre a reação que as mulheres agredidas devem ter.

O que é a violência contra mulher?
A violência contra a mulher é qualquer ação e/ou comportamento que gere sofrimento à mulher. Existem, no nosso cotidiano, diversos tipos de agressões contra a mulher: sexual, física, e até mesmo psicológica.

Quais são os tipos mais comuns de violência contra a mulher?
Os tipos mais comuns, que vemos diariamente e até mesmo nos meios de comunicações são: a violência física, aquela em que deixam as marcas no corpo das mulheres, onde o agressor se utiliza de sua força física para cometer tal ato, chutes, tapas, etc. Tem a violência sexual, onde a mulher é forçada a participar e/ou praticar atos sexuais não desejados por ela. Nesse tipo de violência, os homens também se utilizam de força física, intimidação/ameaça.

Temos a violência psicológica, muito comum, presente nas famílias, importante de ser evidenciada, pois esta pode não ser tão visível. A violência psicológica está presente em todos os outros tipos de violência contra a mulher. Infelizmente, a violência psicológica é confundida até mesmo com as atitudes machistas de seus companheiros: não as deixando trabalhar, estudar, sair com amigas etc. Muitas vezes, a mulher sofre a violência psicológica, embora não a veja necessariamente como uma violência e sim como um comportamento “socialmente aceito” por parte de seu companheiro.

Temos outros tipos de violências que não são tão comuns como as citadas: violência patrimonial e violência moral.

Qual o perfil dos agressores?
Existem por aí diversas características de agressores. Muitos são persuasivos, com transtornos psíquicos, inseguros, ciumentos, etc.

Como identificar esses perfis?
A identificação deverá ocorrer pela observação de algumas atitudes e pensamentos do sujeito. Se ele deprecia o gênero feminino; se vê a mulher como inferior aos homens; manifestação de machismo, etc.

Como a mulher pode reagir às agressões?

A mulher que sofreu qualquer tipo das agressões citadas acima, deverá, logo de início, buscar ajuda. Fazer a denúncia na delegacia especializada, procurar uma segurança junto à sua família, sair o quanto antes da situação de agressão. É válido e significante ressaltar que, quanto mais rápida a atitude de proteção e distanciamento do companheiro, melhor. Pois, a violência sempre começa de maneira “branda”, mas pode levar a morte.

O homem começa agredindo verbalmente, usando termos depreciativos, difamando, não deixando a mulher estudar, visitar seus parentes, trabalhar. Após isso, e quando ele vê que já está dominando a situação, ele pode partir para outras violências.
Assessoria hapvidas

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

APODI: Mulher dá a luz a uma Criança dentro de um carro

Há tempos prometi para mim mesmo deixar de falar aqui sobre os desmandos do Apodi. Tenho cumprido. Mas, hoje um fato me chamou atenção e é impossível não narrá-lo aqui.

Desde que convênio entre a PMA e a maternidade Claudina Pinto do Apodi deixou de existir, mães de Apodi, bem como de outros municípios que usavam os serviços da maternidade, ficaram um tanto quanto órfãos no que diz respeito à natalidade.
Na tarde deste domingo, 08, um fato triste se deu aqui em Apodi com relação a natalidade. Uma mulher deu a luz dentro de um carro aqui na cidade do Apodi. Um fato triste. Como a maternidade Claudina Pinto faz falta a uma população de 35 mil habitantes e para a região. Lamentável que, na atualidade, isso é considerado  agora normal, uma mãe parir dentro de um carro. Até algum tempo não era normal. Se acontecesse o mundo caia.
Que triste. Vir ao mundo em um carro? Acho que todos tem direito de nascer dignamente. Que saudade da atuação daqueles justiceiros que fizeram grande manifestação co…

Vereador Charton Rêgo propõe inclusão do ensino de LIBRAS em escolas do Município

Aconteceu nesta noite de terça-feira 14/11/2017 as 19hs na sede da Câmara Municipal de Apodi-RN, uma reunião convocada pelo Vereador da Política com Seriedade Charton Rêgo. Alunos apodienses do Curso de Libras (UFERSA, Campus Caraúbas) e membros da Comunidade Surda de Apodi, foram convidados para debater sobre o Projeto de Lei 136/2017 de autoria do Vereador Charton Rêgo que propõe a inclusão da Língua Brasileira de Sinais no currículo escolar no âmbito municipal.
A PL (Projeto de Lei) que na sessão desta quinta-feira 16/11/17 será encaminhada as comissões, foi apresentada ao grupo que compareceu a reunião. Se aprovada e posteriormente sancionada pelo Executivo, a partir de 2018 a Secretaria de Educação terá obrigatoriedade de garantir acesso das pessoas surdas à comunicação, à informação e à educação, como rege a legislação federal que determina que uma série de medidas sejam tomadas pelos Estados e Municípios que visem tais garantias.
A PL ainda trata sobre a promoção de cursos de c…

INCIDENTE: Motorista mergulha carro da prefeitura do Apodi em rio