MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL: Formalizações em fevereiro têm aumento superior a 10%

O número de negócios registrados como Microempreendedor Individual em fevereiro no estado teve um crescimento de 10,6% em relação ao mesmo mês do ano passado

Foto: Agência Sebrae. Ruth Maia: formalizações seguem dentro da
média para o mês de fevereiro
Por Maria Celia F. Cabral

Natal – A quantidade de novos negócios registrados na categoria de Microempreendedor Individual (MEI) teve um crescimento de 10,6% no Rio Grande do Norte em fevereiro em comparação com o mesmo mês do ano passado. Ao longo do mês, foram formalizadas 1.017 empresas nessa figura jurídica, que envolve os empreendimentos com faturamento anual bruto de até R$ 60 mil. Atualmente, o estado já conta com 90.733 empresas enquadradas nessa categoria e que representam a maioria dos optantes pelo Simples Nacional no RN.

Apesar do aumento, as formalizações no mês passado foram quase 53% menores do que em janeiro, quando o Rio Grande do Norte chegou a registrar 1.555 MEIs. De acordo com a coordenadora estadual do MEI no Sebrae-RN, Ruth Suzana Maia, o mês de janeiro não pode ser adotado como parâmetro para medir a quantidade de geração de novos negócios como MEI e, na avaliação dela, a quantidade de formalizações segue dentro da média para o mês de fevereiro.

Normalmente, em janeiro, há um aumento significativo de registros, mas isso não quer dizer que foram criados novos negócios. Na verdade, trata-se do período limite para as empresas possam migrar de regime fiscal dentro do Simples Nacional e muitas microempresas passam para a condição de MEI, elevando os números”, explica Ruth Maia.
Para ser enquadrado como MEI, o profissional precisa faturar até R$ 60 mil por ano, não ter participação em outra empresa como sócio ou titular, ter até um empregado contratado e desempenhar uma das 370 atividades permitidas e aprovadas pelo Comitê Gestor do Simples Nacional.

Entre os principais fatores atribuídos a esse crescimento de registros estão as vantagens oferecidas pela formalização. Como MEI, o profissional passa a ter direito ao auxílio maternidade, auxílio doença, registro no Cadastro Nacional de Pessoas Jurídicas (CNPJ), aposentadoria, a possibilidade de vender para pessoas jurídicas e órgãos do governo, entre outros benefícios que o não teria se estivesse informal.

A formalização é gratuita e feita pelo site www.portaldoempreendedor.gov.br. Além disso, o MEI fica isento dos impostos federais (Imposto de Renda, PIS, Cofins, IPI e CSLL), pagando apenas o valor fixo mensal destinado à Previdência Social e ao ICMS ou ISS, sendo atualizados anualmente de acordo com o salário mínimo.

Agencia Sebrae de Notícias

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Repórter Wilson Oliveira me passou informações preocupantes sobre situação da maternidade Claudina Pinto

Nota de esclarecimento

Vereador Gilvan Alves doa um mês de salário e, consegue revitalizar Caixa D'água de comunidade do Góis

CHARTON AVISA: “Para desespero de quem não tem zelo com o dinheiro público continuarei determinado no meu papel fiscalizador”, avisa Charton