Pular para o conteúdo principal

CAMINHÁGUA: Projeto desenvolvido nas piscinas da UFRN melhora o condicionamento físico e minimiza efeitos de doenças

Trata-se de uma caminhada dentro da piscina, que beneficia
pessoas com Parkinson, Hipertensão Arterial, Artrose,
problemas com Varizes e circulatório.
Foto/Wallacy Medeiros.
Por Evelin Monteiro

O projeto de extensão Caminhágua desenvolvido na Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) proporciona a melhora do condicionamento físico e o tratamento de doenças. Como o nome sugere, trata-se de uma caminhada dentro da piscina, que beneficia pessoas com Parkinson, Hipertensão Arterial, Artrose, problemas com Varizes e circulatórios.

A atividade ocorre no complexo esportivo da Universidade e foi idealizada há 15 anos pelo professor de educação física Raimundo Nonato, coordenador do projeto. "O nosso corpo precisa de alimento, movimento e alegria. Um corpo alegre, ativo e bem alimentado tem saúde", defende.

A movimentação dentro da água, proporciona um maior relaxamento do corpo e exercício para os membros inferiores e superiores. “Avaliamos possíveis problemas de saúde para realizar intervenções no sentido de minimizar ou até mesmo, curar efeitos de doenças”, diz o coordenador. Raimundo Nonato lembra uma das conquistas marcantes do projeto: a recuperação de uma participante que sofreu um Acidente Vascular Cerebral (AVC) e abandonou a cadeira de rodas com a ajuda dos exercícios.

Para a participante Severina Gomes Pereira, 79 anos, paciente de Parkinson, o projeto tem contribuído para minimizar os tremores das mãos e outros efeitos da doença “os exercícios são simples e eu faço muitos movimentos, principalmente com os braços e com as mãos. Não sinto tontura, não sinto tremor, nem vontade de vomitar. Nas férias foi horrível porque fiquei sem fazer e senti muito o impacto da doença. A água me ajuda em tudo, inclusive a viver”, detalha.

Inicialmente, o projeto atendia pessoas obesas, proporcionando um maior gasto calórico dentro da água. “Muitas vezes o diagnóstico aponta para cirurgias, mas conseguimos através da água, diminuir efeitos sem que o paciente sofra uma intervenção cirúrgica tão invasiva”, conta o coordenador.

Raimundo Nonato explica que dentro da água o peso específico de uma pessoa é menor. Com isso, pessoas que não conseguem caminhar com facilidade no dia-a-dia, fazem esse esforço de forma reduzida ao se deslocar dentro da piscina, trabalhando melhor os membros. Além de caminharem dentro da água, os participantes realizam exercícios de fortalecimento específicos que favorecem a musculatura dos braços e das pernas. LEIA MAIS...

Agência de Comunicação da UFRN 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

APODI: Mulher dá a luz a uma Criança dentro de um carro

Há tempos prometi para mim mesmo deixar de falar aqui sobre os desmandos do Apodi. Tenho cumprido. Mas, hoje um fato me chamou atenção e é impossível não narrá-lo aqui.

Desde que convênio entre a PMA e a maternidade Claudina Pinto do Apodi deixou de existir, mães de Apodi, bem como de outros municípios que usavam os serviços da maternidade, ficaram um tanto quanto órfãos no que diz respeito à natalidade.
Na tarde deste domingo, 08, um fato triste se deu aqui em Apodi com relação a natalidade. Uma mulher deu a luz dentro de um carro aqui na cidade do Apodi. Um fato triste. Como a maternidade Claudina Pinto faz falta a uma população de 35 mil habitantes e para a região. Lamentável que, na atualidade, isso é considerado  agora normal, uma mãe parir dentro de um carro. Até algum tempo não era normal. Se acontecesse o mundo caia.
Que triste. Vir ao mundo em um carro? Acho que todos tem direito de nascer dignamente. Que saudade da atuação daqueles justiceiros que fizeram grande manifestação co…

Vereador Charton Rêgo propõe inclusão do ensino de LIBRAS em escolas do Município

Aconteceu nesta noite de terça-feira 14/11/2017 as 19hs na sede da Câmara Municipal de Apodi-RN, uma reunião convocada pelo Vereador da Política com Seriedade Charton Rêgo. Alunos apodienses do Curso de Libras (UFERSA, Campus Caraúbas) e membros da Comunidade Surda de Apodi, foram convidados para debater sobre o Projeto de Lei 136/2017 de autoria do Vereador Charton Rêgo que propõe a inclusão da Língua Brasileira de Sinais no currículo escolar no âmbito municipal.
A PL (Projeto de Lei) que na sessão desta quinta-feira 16/11/17 será encaminhada as comissões, foi apresentada ao grupo que compareceu a reunião. Se aprovada e posteriormente sancionada pelo Executivo, a partir de 2018 a Secretaria de Educação terá obrigatoriedade de garantir acesso das pessoas surdas à comunicação, à informação e à educação, como rege a legislação federal que determina que uma série de medidas sejam tomadas pelos Estados e Municípios que visem tais garantias.
A PL ainda trata sobre a promoção de cursos de c…

INCIDENTE: Motorista mergulha carro da prefeitura do Apodi em rio