Se precisamos de polícia para sermos honestos, somos uma sociedade de bandidos soltos

Reprodução.
Por Sérgio OliveiraTeólogo e psicólogo

Na greve da PM no Espírito Santo cidadãos comuns foram vistos realizando saques em lojas e supermercados.

A ausência da polícia revela uma realidade assustadora: O caos ético e moral que se encontra o nosso país. Quando a polícia se torna a regra de conduta das pessoas, o instrumento de controle que as impede de cometer crimes percebe-se a falta de consciência ética e moral. 

Retirada a polícia vem a tona o desejo latente de um povo corrupto. Idiotice pensar que só políticos são desonestos, tendo oportunidade, muitos se tornam criminosos.

A conclusão é a seguinte: “Se precisamos de polícia para sermos honestos, somos uma sociedade de bandidos soltos”. 

Comentários

  1. A própria polícia é desonesta, no final vamos confiar em quem? Aonde iremos nos apoiar?
    Não estou dizendo que isso é certo, pois acho uma falta de respeito e ombridade, saquear e roubar, com o nosso país em crise e fragilizado.
    Resumindo o certo está errado e o errado está certo.

    ResponderExcluir
  2. O TEXTO: IDIOTICE PENSAR QUE SÓ POLÍTICOS SÃO DESONESTOS,NO MEU ENTENDER HOJE NO BRASIL SE CUMPRE A BÍBLIA QUANDO DIZ: POR SERMOS HONESTOS SEREMOS PERSEGUIDOS, QUEM ENSINOU AS CLASSES (B) E (C) A ROUBAR NO BRASIL FOI EXATAMENTE A CLASSE A E PRINCIPALMENTE OS POLÍTICOS QUE HOJE MESMO ESTÃO BRIGANDO NA JUSTIÇA EM BUSCA DE UM FORO PRIVILEGIADO PARA EVITAR UMA POSSÍVEL PRISÃO ORA, SE O PAI NÃO DAR EXEMPLO NA CRIAÇÃO DO FILHO ELE TEM MAIS CHANCE DE TER UM FILHO BANDIDO DO O PAI EXEMPLAR.

    ResponderExcluir
  3. Esta até pode ser uma boa reflexão a nível pessoal (e não geral) da situação. Tenho consciência de que a natureza humana é tendenciosa para o mal e dependente de um Ser maior (no caso dos cristãos - Deus) para guia-lá ao bem e da necessidade de princípios religiosos no âmbito familiar e da ausência destes em boa parte dos casos. Mas penso que outros aspectos devem ser considerados, a começar pelo aspecto religioso, já que vivemos uma época em que pastores são vistos como ladrões, a fé é comercializada entre as denominações e os fiés escolhem suas igrejas como se fosse mais um produto na estante de um supermercado - a que me agradar é a melhor. Somos governados por uma política de manobras pessoais, onde o interesse e necessidades da população são colocadas em segundo plano. Nossos governadores são vistos como ladrões, como de fato são, e não fazem isso sozinhos, mas contam com a ajuda de grandes empresários. O que vejo é que governantes e grandes homens de nosso país estão sendo seduzidos pelo poder e pela ganância. Normas de ética e moral são bem escritas, discursos bonitos são feitos e a mensagem é pregada com "poder", mas a verdade é que aqueles que deveriam inspirar e guiar nossa gente estão em um nível baixíssimo da moral e da ética. O que se poderia concluir então é que todos somos peixes de um mesmo aquário, embebedados pela sujeira que nos rodeia. Ou como diz o ditado: "filho de peixe, peixinho é". Penso que esta é a verdadeira crise ética e moral da sociedade brasileira. Não acham!???

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Vereador Charton Rêgo propõe inclusão do ensino de LIBRAS em escolas do Município

Lei N. 10. 246/2017 para política de conscientização sobre lúpus leva o nome em homenagem a apodiense Ellaíne Torres

DENUNCIA GRAVE CONTRA O PREFEITO É PROTOCOLADA

Prefeito Alan rebate denúncia sobre suposta contratação irregular e destaca: “ele vai ter que provar na Justiça”

PRESTAR INFORMAÇÕES FALSAS É CRIME E USO DA MÁ FÉ NA GESTÃO PÚBLICA