EDUCAÇÃO: Escola agrícola de Jundiaí realiza a maior formatura de sua história

Sessão solene lotou o ginásio poliesportivo Juvenal Lamartine Neto da
EAJ. Fotos: Gilberto Oliveira
Por Gilberto Oliveira

A Unidade Acadêmica Especializada em Ciências Agrárias – Escola Agrícola de Jundiaí (EAJ) realizou, em fevereiro, a maior colação de grau de sua história. Foram 271 alunos que concluíram cursos técnicos ofertados na modalidade a distância pela Rede e-Tec. Os formandos receberam o grau de técnicos em Agroindústria, Agropecuária, Alimentação Escolar, Aquicultura, Comércio Exterior, Cooperativismo e Informática.

A sessão solene lotou o ginásio poliesportivo Juvenal Lamartine Neto da EAJ com estudantes, familiares e amigos vindos de seis polos do e-Tec: Assentamento Rosário, Ceará-Mirim, Macaíba, Monte Alegre, Touros e Vera Cruz, que também atendem moradores de municípios próximos.

A reitora da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), Angela Paiva Cruz, presidiu a solenidade e registrou a satisfação de participar do evento que consolida a conquista da formação profissional de tantos jovens e adultos.

Para a reitora, a EAJ e as demais escolas técnicas da Instituição têm apresentado para a UFRN demandas importantes para que a Universidade não esteja presente apenas nas grandes cidades e na capital, mas que atue como instituição social responsável pela educação interior adentro. “Por isso nossa grande alegria de estar aqui consolidando mais uma contribuição para a formação desses novos profissionais. Isso nos faz acreditar mais e mais nas possibilidades do alcance da cidadania e da emancipação das pessoas por meio da educação”, ressaltou.

O coordenador geral do e-Tec, professor Ivan Max de Lacerda, contou a evolução do programa na UFRN e agradeceu o empenho e o apoio da administração central. Ele também observou a oportunidade que a EAJ, através do e-Tec possui de fazer a diferença, através da transferência de conhecimento tecnológico, além das fronteiras da escola e chegando próximo dos que precisam de sabedoria, nas ciências agrárias e nas ciências que lhe dão suporte. “Quando se apropria dos conhecimentos tecnológicos para aperfeiçoar a produção e o beneficiamento e das técnicas de comercialização, administração, organização, exportação, o produtor rural consegue mais liberdade, mais renda, e com isso há mais desenvolvimento econômico e social”, destacou.

Reitora da UFRN, Angela Paiva Cruz, presidiu a solenidade
O orador das turmas, Antônio Sérgio Gondim da Silva, concluinte do Curso Técnico em Informática do Polo Touros, falou da importância do avanço profissional. “Foi investido em nós conhecimento científico e, portanto, sendo agora hospedeiros desse antídoto da ignorância, precisamos aprender a transformar o que está ao nosso redor com o nosso conhecimento”, relatou o estudante em seu discurso.

No total, foram 538 alunos formados em dez cursos técnicos pelo e-Tec/EAJ/UFRN no semestre 2016.2. Além dos 271 que participaram da sessão solene na EAJ, 51 colaram grau no Polo Caicó, no dia 3 de fevereiro e nos polos Apodi, Assu, Areia Branca e São Paulo do Potengi, as formaturas serão realizadas até 11 de março.

Rede e-Tec Brasil
O programa Rede e-Tec Brasil é uma iniciativa do Ministério da Educação, que oferta cursos de educação profissional e tecnológica semi-presenciais, atuando ainda na formação de trabalhadores egressos do ensino médio e educação de jovens e adultos.

No Rio Grande do Norte, por meio da Escola Agrícola de Jundiaí da Universidade Federal do Rio Grande do Norte, os cursos beneficiam mais de 2.650 jovens e adultos. São 12 polos distribuídos em 11 municípios potiguares: Apodi, Areia Branca, Assu, Caicó, Ceará-Mirim, Ceará-Mirim Assentamento Rosário, Macaíba, Monte Alegre, Natal, São Paulo do Potengi, Touros e Vera Cruz.

Agência de Comunicação da UFRN

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Vereador Charton Rêgo propõe inclusão do ensino de LIBRAS em escolas do Município

POLICIAL: Mais um crime de homicídio em Apodi

DENUNCIA GRAVE CONTRA O PREFEITO É PROTOCOLADA

Prefeito Alan rebate denúncia sobre suposta contratação irregular e destaca: “ele vai ter que provar na Justiça”

PRESTAR INFORMAÇÕES FALSAS É CRIME E USO DA MÁ FÉ NA GESTÃO PÚBLICA