Sobre chacina, secretário de Temer diz que "tinha era que matar mais"

Bruno Júlio | Secretaria Nacional de Juventude
Por Ilimar Franco

Ao comentar o massacre carcerário em Manaus, o secretário nacional de Juventude, Bruno Júlio (PMDB), diz que "tinha era que matar mais".

-- Eu sou meio coxinha sobre isso. Sou filho de polícia, né? Tinha era que matar mais. Tinha que fazer uma chacina por semana.

Bruno Júlio é filho do ex-deputado federal Cabo Júlio (PMDB), hoje deputado estadual em Minas. É também presidente licenciado da juventude do PMDB. A briga entre facções criminosas no Complexo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj) deixou 56 mortos, entre os dias 1º e 2.

Para justificar seu ponto de vista, o secretário compara a chacina ocorrida em Campinas (SP), em uma festa de réveillon, quando 12 pessoas foram mortas pelo ex-marido de uma das vítimas, que se matou em seguida.

-- Isso que me deixa triste. Olha a repercussão que esse negócio que o presídio teve e ninguém está se importando com as meninas que foram mortas em Campinas. Elas, que não têm nada a ver com nada, que se explodam. Os santinhos que estavam lá dentro, que estupraram e mataram: Coitadinhos, oh, meu Deus, não fizeram nada! Para, gente! Esse politicamente correto que está virando o Brasil está ficando muito chato. Obviamente que tem de investigar, tem que ver...

Na madrugada desta sexta-feira (6/1), pelo menos 33 presos foram mortos na Penitenciária Agrícola de Monte Cristo, em Roraima. A maioria deles foi decapitada. Bruno Júlio diz que a ex-presidente Dilma reduziu em 85% a verba para presídios e defende uma das propostas do ministro Alexandre Moraes (Justiça). Diz que se deve separar os presos por tipo de crime e periculosidade.

Cita experiência na área: -- Trabalhei na Subsecretaria de Administração Prisional (Suapi) em Minas. Tem muita gente que consegue mudar de vida.

Na quinta-feira (5/1), o presidente Michel Temer se manifestou pela primeira vez sobre o caso de Manaus. Disse que a chacina foi um "acidente pavoroso". A declaração repercutiu mal e o peemedebista usou as redes sociais para se justificar. "Sinônimos da palavra 'acidente': tragédia, perda, desastre, desgraça, fatalidade", escreveu.

Bruno Júlio diz que "infelizmente" a secretaria pouco pode colaborar sobre as chacinas. Cita que o governo lançará, em março, um programa que implantará centros de juventude no Brasil direcionada à mulher e à qualificação profissional dos jovens. Serão 50 centros como "piloto", instalados em pontos de maior incidência de jovens mortos, segundo o Mapa da Violência.
Confira informação no Blog Panorama Político –O Globo

Comentários

  1. E será que se na chacina o pai dele que é ' polícia ' tivesse sido morto a opinião dele seria essa. E se ele não gosta tanto assim de ladrao e bandido ele tá fazendo no PNDB arudeado deles

    ResponderExcluir
  2. Chega de hipocrisia. Todos concordam com o secretário.

    ResponderExcluir
  3. Todos com pensamentos de inguiotas como vcs só afavor da pena de morte para muitos crimes mais não afavor de carnificina como aconteceu seus ingiras quando acontece com um parente seu vcs vai senti na pele e aí vamos ver se a opinião será a mesma

    ResponderExcluir
  4. E se todos concordam por que ele já saiu do cargo para não ser exonerado em menos de 48 horas depois da entrevista??

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

FESTA: Rio Apodi amanheceu de barreira a barreira, lagoa do Apodi tomando muita agua

EITA PIULA: Ex-secretário de turismo Júnior Costa desmente matéria da assessoria de Alan e mostra provas

NATUREZA: Praticamente 10 anos depois a Lagoa do Apodi volta a ter um grande volume d’água