Se a Educação é prioridade, por que não garantir a GRATUIDADE do transporte universitário?

Crédito da foto: Assessoria PMA
Na atualidade, graça a uma ação ganha da Petrobrás ainda na gestão passada, A PMA está recebendo quase R$ 800 mil reais de ROYALTIES mensais. Ora, se a educada é prioridade daria para investir R$ 100 mil/mês no transporte dos estudantes.

No Governo passado nos, nos 02 primeiros anos, tinha-se uma receita de ROYALTIES de cerca de 500 mil em média, disso lembro bem. Mas, a partir de 2014 começou a redução drástica.

Apodi chegou a receber R$ 180 mil em Fevereiro de 2016. Mesmo assim quando tinha receita à prefeitura investiu no transporte universitário, nesse momento a receita existi.

Estranhamento, o presidente da Associação dos Estudantes de Nível Técnico e Superior de Apodi (AENTS), afirmou ontem, em reunião com atual gestão que a proposta apresentada pela prefeitura atende aos anseios dos estudantes. Isso segundo matéria enviada pela assessoria do senhor Alan.

Discutimos e ficou acertado um auxílio bastante satisfatório e que atende aos anseios dos estudantes. Nós sabemos que o município não tem como arcar com o valor integral”, comentou’ na reunião segundo assessoria.

Como a representação da AENTS mudou rapaz... Bem diferentes dos idos de Flaviano/Zé Maria, que mesmo com toda queda de royalties não tinha nem papo. Só dava certo se fosse à gratuidade (CLIQUE AQUI e reviva a história).

Mesmo diante de toda satisfação da AENTS em aceitar só um AUXÍLIO, não seria uma forma de fazer valer a palavra de priorizar a educação ou não com quase R$ 800 mil de Royalties entrando nos cofres municipais?

Afinal, a vice-prefeita regalado, era uma ardorosa vereadora na devesa dessa gratuidade quando os alunos enchiam a CMA e as ruas em seus protestos. 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

FESTA: Rio Apodi amanheceu de barreira a barreira, lagoa do Apodi tomando muita agua

EITA PIULA: Ex-secretário de turismo Júnior Costa desmente matéria da assessoria de Alan e mostra provas

NATUREZA: Praticamente 10 anos depois a Lagoa do Apodi volta a ter um grande volume d’água