Prefeitura e CDL estudam ampliar monitoramento por câmeras em Apodi

Crédito das fotos: Assessoria.
Por Josemário Alves

O prefeito, Alan Silveira (PMDB) e a Câmara dos Dirigentes Lojistas (CDL) de Apodi querem ampliar o sistema de monitoramento por câmeras para todo o município, inclusive para a zona rural. O assunto foi debatido em reunião nesta segunda-feira (16) na sede da CDL.

A manutenção e a ampliação do sistema de monitoramento foi algo que nós defendemos em campanha e que irá beneficiar todo os apodienses”, afirmou Alan.
Durante a reunião, além de garantir a continuidade da parceria com o CDL, o prefeito solicitou ao técnico do sistema um estudo sobre a instalação de câmeras em outras áreas da zona urbana e comunidades rurais, como Melancias e Soledade.

A gente percebe que áreas como Baixa do Caic carecem de mais atenção sobre a segurança. Então, nossa intenção é ampliar esse monitoramento para esses bairros periféricos”, acrescentou Alan.

Atualmente, o sistema de monitoramento conta com sete câmeras espalhadas na entradas e saídas da cidade, e no Centro comercial. De acordo com o presidente do CDL Apodi, Givanildo Batista, a renovação do convênio com a prefeitura tem fundamental importância para garantir mais segurança ao município.

“Essas câmeras são uma ferramenta muito boa, tanto para a população, quanto para os lojistas. Não tenho dúvidas de que elas já evitaram muitos assaltos por aqui. Todo o investimento que fazemos nesse monitoramento por câmeras retornam para a gente como ação contra a criminalidade”, afirmou Givanildo.

Veja essa e outras ações da gestão Apodi Cidade de Todos em www.prefeituramunicipaldeapodi.blogspot.com.
Assessoria de Comunicação Integrada

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Repórter Wilson Oliveira me passou informações preocupantes sobre situação da maternidade Claudina Pinto

Nota de esclarecimento

Vereador Gilvan Alves doa um mês de salário e, consegue revitalizar Caixa D'água de comunidade do Góis

CHARTON AVISA: “Para desespero de quem não tem zelo com o dinheiro público continuarei determinado no meu papel fiscalizador”, avisa Charton