O quarto poder está oficialmente instituído no Brasil?

Reprodução.
Executivo, legislativo, judiciário. Somos acostumados nos bancos das escolas que os poderes constituídos no Brasil são esses três. Não demorará a algum autor de livro, com uma visão mais crítica, trazer a tona nos livros o quarto poder instituído no Brasil: O Presidiário – crime organizado para ser mais sofisticado. Cada dia mais poderoso e organizado passou de passagem pelo poder da imprensa, antes era o quarto. Agora tenho minhas dúvidas. 

Até onde o estado brasileiro tem o controle sobre o crime organizado? Com as constantes e sangrentas rebeliões que se alastraram no ano de 2017, uma questão como a de cima torna mais claro o poder, organização e de certa forma soberania sim do crime organizado.

Chefes do crime negociando com autoridades constituídas Policiais, batalhão de choque, agentes penitenciários tendo que esperar para entrar em um presídio onde está acontecendo uma rebelião. Pedindo licença literalmente.

Diante das circunstancias, vou mais além. Até o crime organizado já tem poder sob nossa constituição ditando artigos, parágrafos, incisos, etc? E no mundo da política, até onde está o poder de sua representação em câmaras municipais, estaduais, federais e congresso (preste atenção na reportagem do fantástico novamente). Em meio a tantas evidencias acho as perguntas salutares.

Vejo o crime organizado nesse país muito, mais muito mais organizado que o estado – O governo de um modo em geral. A sociedade civil está à mercê.

A qualquer momento que querem fogem dos presídios, nas ruas praticam-se delitos, conseguem armamento que parte das vezes só as forças armadas possuem, as senhas bancárias sucumbem perante o poder do crime organizado. O quarto poder?

Comentários

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

FESTA: Rio Apodi amanheceu de barreira a barreira, lagoa do Apodi tomando muita agua

EITA PIULA: Ex-secretário de turismo Júnior Costa desmente matéria da assessoria de Alan e mostra provas

NATUREZA: Praticamente 10 anos depois a Lagoa do Apodi volta a ter um grande volume d’água