ARRE ÉGUA!!! País permite que aulas de direção sejam pagas com sexo

Governo holandês reafirmou a legalidade da prática após consulta feita no parlamento do país

Na Holanda, os instrutores podem oferecer as aulas de
direção em troca de sexo, mas é proibido oferecer sexo
em troca de aulas (Thinkstock/VEJA)
Na Holanda, é possível pagar por aulas de direção de automóveis com sexo – e isso não configura prostituição. Recentemente, o governo holandês reafirmou a legalidade da prática, que tem causado controvérsia desde que passou a ser considerada legítima, em dezembro de 2015.

A ministra dos Transportes, Melanie Schultz van Haegen, e o ministro da Justiça, Ard van der Steur, trataram do tema em resposta a uma pergunta apresentada no parlamento por Gert-Jan Segers, do conservador Partido da União Cristã. Os ministros observaram que, embora “indesejável”, a prática não é ilegal.

Há algumas ressalvas: os instrutores podem oferecer as aulas em troca de sexo, desde que os alunos tenham mais de 18 anos. Além disso, é ilegal oferecer sexo em troca de aulas.

Apelidada de “passeio por um passeio” (ou ‘ride for a ride’, em tradução livre do inglês), a troca de sexo por aulas de condução de automóveis tem ganhado popularidade nas buscas na internet no país.

O deputado Gert-Jan Segers disse que a prática deveria ser ilegal – mas, ao menos em seu discurso, o argumento do parlamentar não tem a ver com puritanismo: segundo ele, muitos instrutores de direção não teriam licença ministrar as aulas nem estariam declarando os serviços sexuais em seus impostos. A julgar por suas declarações, portanto, a preocupação é mais com a arrecadação de tributos e com a parte burocrática do trabalho dos instrutores do que necessariamente com a, por assim dizer, forma de pagamento escolhida.

Comentários

  1. Com a crise econômica-financeira, aqui no Brasil pode ser uma boa saída. Os donos das auto-escolas não ficarão na mão.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Vereador Charton Rêgo propõe inclusão do ensino de LIBRAS em escolas do Município

Lei N. 10. 246/2017 para política de conscientização sobre lúpus leva o nome em homenagem a apodiense Ellaíne Torres

DENUNCIA GRAVE CONTRA O PREFEITO É PROTOCOLADA

Prefeito Alan rebate denúncia sobre suposta contratação irregular e destaca: “ele vai ter que provar na Justiça”

PRESTAR INFORMAÇÕES FALSAS É CRIME E USO DA MÁ FÉ NA GESTÃO PÚBLICA