Arboviroses e suas complicações são discutidas em seminário na UFRN

Fotos: Cícero Oliveira
Por Marina Gadelha

A discussão de temáticas referentes às arboviroses – doenças transmitidas por insetos, entre eles o Aedes aegypti – compõe a programação do “Seminário Norteriograndense sobre Arboviroses e suas Complicações”, que acontece a partir desta segunda-feira, 12, e segue até quarta-feira, 14, no auditório da Reitoria da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN). O evento busca, a partir da ampliação de conhecimentos, desenvolver ações mais direcionadas para a vigilância epidemiológica, o diagnóstico laboratorial e a assistência em saúde.

Vivemos um momento de extrema preocupação causada pelas arboviroses que não apenas têm aumentado, como também diversificado sua natureza e sua ação perniciosa. Urge definir políticas solidárias de enfrentamento das questões com toda a complexidade que apresentam”, destacou a pró-reitora de Extensão da UFRN, Maria de Fátima Freire de Melo Ximenes, durante a solenidade de abertura na manhã da segunda-feira. O momento contou com a presença do secretário estadual de Saúde, George Antunes.

Realizado pela Secretaria de Saúde do RN (Sesap), o seminário recebe apoio da Organização Panamericana de Saúde (OPAS) e da Pró-Reitoria de Extensão da UFRN (Proex). A programação inclui palestras, mesas-redondas, conferências e debates sobre pesquisas, controle vetorial, síndromes neurológicas, microcefalia, entre outras temáticas acerca das arboviroses, cujos índices elevados de morbidade e letalidade no RN provocam crescente preocupação à saúde pública.

A conferência de abertura foi ministrada pelo consultor nacional em dengue da Opas, Carlos Frederico Campelo de Albuquerque e Melo, que abordou o tema “As arboviroses no Brasil e os desafios para a saúde pública”. No primeiro dia do evento ainda foram discutidas novas alternativas para o controle do Aedes aegypti, a situação epidemiológica das arboviroses e aspectos clínicos e terapêuticos para dengue, zikachikungunya e febre amarela.

As demais abordagens sobre o assunto serão discutidas nos outros dois dias de programação, em paralelo com o II Fórum Temático da Rede de Cuidados à Pessoa com Deficiência, o IV Encontro Intersetorial de Enfrentamento à Microcefalia no RN e a apresentação de trabalhos técnico-científicos. Também será realizada uma oficina para gestores, coordenadores e técnicos dos serviços habilitados e em processo de habilitação pelo Ministério da Saúde em Centros Especializados em Reabilitação (CER).
ASCOM – Reitoria/UFRN

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

FESTA: Rio Apodi amanheceu de barreira a barreira, lagoa do Apodi tomando muita agua

EITA PIULA: Ex-secretário de turismo Júnior Costa desmente matéria da assessoria de Alan e mostra provas

NATUREZA: Praticamente 10 anos depois a Lagoa do Apodi volta a ter um grande volume d’água