Robinson vai a Caicó e anuncia ações emergenciais

Fotos: Rayane Mainara
O governador Robinson Faria esteve em Caicó nesta terça-feira (22) para anunciar as ações da Operação Vertente no município do Seridó Potiguar. O chefe do executivo explicou, em audiência pública na Câmara Municipal, as medidas do Governo do Estado para combater a crise hídrica. "O Governo do Estado está fazendo tudo que está ao seu alcance para atender a população de Caicó e não deixar que falte água", afirmou o governador.

A Operação Vertente levará para Caicó cerca de 180 mil litros de água potável por dia para atender a população, após a cidade deixar de receber o abastecimento em função do esgotamento do rio Piancó/Piranhas-Açu.

"Serão dezenas de carros-pipa que chegarão nesta quarta-feira, com o objetivo de garantir água para a população e também fazer com que os serviços essenciais não parem. Por isso daremos prioridade a locais como hospitais e escolas", explicou o governador Robinson Faria.

A água será distribuída em 40 caixas d'água, dotadas de chafarizes, que foram disponibilizadas pela Companhia de Águas e Esgotos do Rio Grande do Norte (Caern). Os locais de instalação foram definidos ainda ontem pela Defesa Civil.

O governador cancelou uma viagem à Brasília, onde se encontraria com o presidente Michel Temer e outros governadores, para ir até Caicó. "Decidi vir junto com a minha equipe para mostrar que o Governo do Estado está trabalhando para atender o povo", completou o governador.

A medida emergencial foi bem recebida por quem acompanhou a audiência. O deputado estadual Nélter Queiroz pontuou que a ação mostra compromisso por parte do Governo do Estado. "O governador e sua equipe vieram aqui e mostraram que estão fazendo tudo que é possível para não deixar a população sem água", disse o deputado. O prefeito de Caicó, Roberto Germano, também ressaltou que a chegada da Operação Vertente impedirá que seja decretado estado de emergência.

Durante seu pronunciamento o governador também explicou a questão da adutora de engate rápido para abastecer a região. "A obra seria feita pela Caern em cinco meses. Já tínhamos o projeto e todas as licenças. Estaríamos entregando a adutora este mês, mas por decisão do Ministério da Integração Nacional foi repassada para o DNOCS (Departamento Nacional de Obras Contra a Seca), o que atrasará a chegada de água", apontou Robinson Faria.
Assecom-RN

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

ABERRAÇÃO: Quem votou contra e quem votou a favor de mais desperdício de recursos públicos?

Diretora administrativa da maternidade Claudina Pinto pede demissão

EM TEMPO: Reunião da APAMI – As contradições do chefe do executivo

NOTA DE REPÚDIO AO PODER PÚBLICO MUNICIPAL DE APODI

Zelo pelo recurso público né? Sei!