Seminário UFRN com Diversidade discute violência contra a mulher

Reprodução. 
Quem foi que disse que pra ser normal todo mundo tem que ser igual?”. Com essa mensagem em forma de música, o grupo Esperança Viva, formado por pessoas com deficiência visual, abriu a programação do I Seminário UFRN com Diversidade, realizado nesta terça-feira, 1º, no auditório do Instituto Metrópole Digital (IMD), da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN). O evento apresenta o tema O cotidiano feminino e seus enfrentamentos, a fim de propor reflexões e discussões sobre a violência contra a mulher.

Um público diverso participa dos debates que contam com a colaboração de professoras da UFRN e da representante do Diretório Central dos Estudantes (DCE), a aluna Renata Castro. Realidades comprovadas em pesquisas apontam estatísticas assustadoras, como a de que a cada 15 segundos uma mulher é agredida no Brasil. Em setembro de 2016, o RN já possuía registro de 61 casos de estupro.

A pró-reitora de Extensão da Instituição, Maria de Fátima Freire de Melo Ximenes, iniciou a temática do seminário expondo o papel da extensão universitária nesse contexto, enquanto a pró-reitora de Gestão de Pessoas, Mirian Dantas dos Santos e a pró-reitora adjunta de Graduação, Erika dos Reis Gusmão Andrade, mostraram as ações dessas duas áreas em busca do respeito às diferenças.

O evento é promovido pelo Comitê UFRN com Diversidade, criado em junho deste ano para propor ações em contraposição à violência de gênero e que contribuam com a solidificação de uma cultura de respeito às diferenças sociais, étnicas, de gênero, culturais, religiosas, físico-perceptivas e sensoriais na UFRN e na sociedade.

Esse objetivo só será possível com preparação, informação e qualificação. O seminário tem contribuição importante a partir da interlocução com a comunidade universitária”, citou a reitora da UFRN, Ângela Maria Paiva Cruz, que defende ações contundentes nos projetos acadêmicos e nas atividades administrativas para formar cidadãos mais conscientes e promover qualidade de vida na universidade.
Agência de Comunicação da UFRN

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

RETROSPECTIVA 2013/ 2016: APAMI e a gestão de Castelo

EM TEMPO: Reunião da APAMI – As contradições do chefe do executivo

Diretora administrativa da maternidade Claudina Pinto pede demissão

ABERRAÇÃO: Quem votou contra e quem votou a favor de mais desperdício de recursos públicos?

NOTA DE REPÚDIO AO PODER PÚBLICO MUNICIPAL DE APODI