POLICIAL: Pai mata filho por discordar de apoio do jovem a ocupações e se suicida

Reprodução.
A intolerância e a falta de abertura para ouvir posições políticas distintas no país estão tomando proporções inimagináveis. Nesta terça-feira, dia 15, na cidade de Goiânia, um estudante foi morto pelo pai que não aceitava o fato do filho apoiar ocupações em escolas e universidades no Brasil.

O engenheiro Alexandre José da Silva Neto, de 60 anos, assassinou o filho Guilherme Silva Neto, de 20, estudante de matemática na Universidade Federal de Goiás, após um desentendimento. Segundo a Delegacia Estadual de Investigações de Homicídios, eles teriam discutido porque o pai não queria que o jovem saísse para ir até uma ocupação e não aceitava sua participação em movimentos sociais.

O pai perseguiu e depois atirou no filho algumas vezes e acabou matando o rapaz na esquina da Avenida República do Líbano. O homem, então, se deitou sobre o estudante e atirou nele mesmo, com um disparo na própria boca. Ele chegou a ser socorrido, mas morreu em um hospital na região.

Nas redes sociais, o estudante de matemática dizia ser a favor das ocupações em escolas. A universidade onde o jovem estudava divulgou uma nota de pesar. “A Universidade Federal de Goiás (UFG) lamenta o falecimento do jovem Guilherme Silva Neto, estudante de Matemática da Regional Goiânia, e presta condolências e solidariedade a seus familiares e amigos”.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Após falta de atendimento pelo poder público gestante no quinto mês de gestação recorre ao Vereador Charton Rego

RECOMENDAÇÃO: Ministério Público recomenda que Prefeitura de Apodi cancele todos os convênios que possui com APAMI

Gestão bate meta e cumpre 26% das promessas de campanha em menos de um ano em Apodi

EM TEMPO: Negócios – Apesar do pouco tempo no mercado a San Valle já é sucesso em toda região