No STF, desembargadores se queixam de ‘retaliação’ de Renan

Parte dos 25 presidentes de TJs reunidos com Cármen Lúcia nesta segunda criticou projeto do peemedebista que visa 'supersalários' no Judiciário

Fábio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil
Em reunião com a presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministra Cármen Lúcia, nesta segunda-feira, presidentes de Tribunais de Justiça de todo o país classificaram como ‘retaliação’ do presidente do Senado, Renan Calheiros, a iniciativa de criar uma comissão especial para fazer um pente-fino nos contracheques de quem fura o teto do funcionalismo. A presidente do STF, no entanto, não se manifestou sobre a criação da comissão, segundo relatos de participantes.

Em almoço realizado no sábado, na residência oficial do Senado, no qual foram servidos feijoada e caipirinha, participaram também o líder do PMDB no Senado, Eunício Oliveira (CE), o secretário executivo do Programa de Parcerias de Investimentos (PPI), Moreira Franco, o ex-presidente José Sarney e outros dois ministros do TCU, Bruno Dantas e Vital do Rêgo Filho, Renan, que deixa a presidência do Senado em fevereiro, tratou do pente-fino que pretende fazer em “supersalários” de servidores do Judiciário e do Ministério Público e afirmou que deve anunciar nesta semana um novo relator para o projeto da Lei de Abuso de Autoridade, que, na prática, limita a atuação de investigadores. A proposta tem sido alvo de críticas da Lava Jato, que apura envolvimento de políticos do PT, PMDB e PP, entre outros partidos, no esquema de corrupção na Petrobras. Continue lendo...

Comentários

  1. Quando é pra mexer no meu... Vai pra lá pepeu. Uns cínicos.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

ABERRAÇÃO: Quem votou contra e quem votou a favor de mais desperdício de recursos públicos?

Diretora administrativa da maternidade Claudina Pinto pede demissão

EM TEMPO: Reunião da APAMI – As contradições do chefe do executivo

NOTA DE REPÚDIO AO PODER PÚBLICO MUNICIPAL DE APODI

Zelo pelo recurso público né? Sei!