TAIS BRINCANDO: "É preciso enxugar regalias dos professores para equilibrar cofres de estados e municípios", diz governo federal

"Eles têm férias de 45 dias, aposentadoria especial, descanso pedagógico, piso nacional e até lanche grátis". Que outro trabalhador possui tantas regalias? É preciso enxugar tudo isso ou o país continuará quebrado", dizem burocratas do MEC.

Imagem: Agência Brasil
Por Fábio Assunção, Brasília

Desde que assumiu ilegitimamente a presidência da república, Michel Temer mira seus canhões no setor público do país. Não à toa, sua principal medida até aqui é a edição da PEC 241, que limita os gastos nessa área por 20 anos. Isto traz impactos muito negativos para o funcionalismo da União, estados e municípios, que poderá ficar com salários congelados por duas décadas.

Nessa linha de ataques ao setor público, o governo federal começa a fazer dobradinha com prefeitos e governadores no sentido de atingir ainda mais negativamente o pessoal do magistério. Segundo técnicos do MEC, redes estaduais e municipais de educação são gigantes demais e consomem muito dinheiro de estados e municípios. "É preciso enxugar, pois 12 estados cogitam declarar calamidade financeira", alardeiam no site da Agência Brasil.

Uma das principais saídas em discussão entre Temer e gestores de estados e municípios é o "enxugamento" de supostas regalias dos professores. "Eles têm férias de 45 dias, aposentadoria especial, descanso pedagógico, piso nacional e até lanche grátis". Que outro trabalhador possui tantas regalias? É preciso enxugar tudo isso ou o país continuará quebrado", dizem burocratas do MEC.

As representações dos educadores, no entanto, ponderam que o problema é outro. "Temer que enxugar o setor público para fazer caixa e manter com ainda mais privilégios meia dúzia de grandes empresários e banqueiros que financiaram o golpe de Estado no país", declara a professora Ana Beatriz, de Brasília.

Para combater mais arrocho, CUT e CNTE preparam uma greve geral em todo o Brasil. "Temer e aliados devem fazer enxugamento é nos lucros dos ricos que se acham donos do Brasil", alertam os sindicalistas.

Comentários

  1. O Ministro tem o dever de falar da regalia dos políticos, desnecessária e desproporcional a qualquer outro simples mortal. O ministro não aprendeu nada com seus professores.

    ResponderExcluir
  2. https://www.youtube.com/watch?v=Q52Llf3GEXg

    ResponderExcluir
  3. Engraçado o ex presidente fez críticas aos concursados e vcs nao aceitam,já alguns blogs petistas distorcem as palavras de temer ministros e ai vcs mesmo sabendo que é mais uma mentira do pt divulgam criticam, por favor informe a verdade ao povo o governo temer se for ilégitimo é porque a dilma foi reeleita com mentiras no mais é legítímo sim pergunte aos milhoes de desempregados que sofrem a procura de empregos no brasil ou que eles acham , quanto aos funcionários público a maioria trabalham o que o governo tem que cortar sao os pelegos que nao trabalham mais recebem milhoes estes tem que ser demitidos sim pra quem realmente quer trabalhar como vcs concursados.Com sinceridade nao entendo como vcs funcionários concursados aceitam ataques de quem nunca trabalhou ao contrário sempre provocou demissoes de pais de familias e o pior hoje estar rico e mesmo assim vcs o defende.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

ABERRAÇÃO: Quem votou contra e quem votou a favor de mais desperdício de recursos públicos?

Diretora administrativa da maternidade Claudina Pinto pede demissão

EM TEMPO: Reunião da APAMI – As contradições do chefe do executivo

NOTA DE REPÚDIO AO PODER PÚBLICO MUNICIPAL DE APODI

Zelo pelo recurso público né? Sei!