Precatórios deixadas por gestores do passado está lascando o município do Apodi na atualidade

Os mais recentes R$ 547.215.07 em precatórios deixados por gestores passados foi dividido em ásperas 34 parcelas ao contribuinte

Quem esteve no TRT da cidade de Mossoró, ontem, 08, foi uma equipe da prefeitura do Apodi: Klebia Karina, chefe de gabinete e o secretário de administração Marcos campo, além do procurador Dr. João Paulo que representou a PMA. O representante dos servidores do município foi o Dr. Leôncio Filho.

O assunto, para variar, foi dividir pagamento de precatórios deixados de presente por gestores passados. Dessa vez, foi o parcelamentos dos R$ 547.215.07, deixado, se minha memória não falha, pela gestão do honorável Pinheiro Bezerra.

O parcelamento de mais essa facada nos cofres públicos ficou conforme segue descrito abaixo:

Primeiramente, 23 parcelas primeiras de R$ 10.000,00. Posteriormente, será pago mais 10 de 29.215 07 e, por fim, acontecerá mais uma última de R$ 25.000,00. Somando tudo: R$ 547.215.07.

A primeira parcela fica para a agosto/16 e a última para Maio de 2019. A partir de Agosto/16 os contribuinte apodienses já vão começar a pagar a primeira parcela de R$ 10 mil. A dívida de R$ 547.215.07 foi parcelado em 34 meses.

Lembrando que o contribuinte apodiense já pagou até então, ou seja, até julho/16, R$ 5. 159. 628, 47 (Cinco milhões, cento e cinquenta nove mil, seis centos e vinte e oito reais mais quarenta e sete centavos) em precatórios na maior crise que já vi no alto dos meus 45 anos.

Com esse parcelamento firmado essa semana e outros, que o contribuinte já vem pagando, em média nós, contribuintes, estamos pagando cerca de 130 mil mensais só de precatório. Uma verdadeira fortuna deixada por outros gestores de presente ao contribuinte.

O que daria para fazer com esse dinheiro? Melhorar o salário dos sofridos funcionários municipais que lutam por perdas salariais? Construir e reformar escolas? Dar uma melhorada na infraestrutura urbana? Melhorar o atendimento médico a população? Daria para resolver muitos problemas com R$ 5. 159. 628, 47 já pagos. Assim não dar. Esses precatórios deixam qualquer cidade lascada. 

Comentários

  1. Para parte da picaretagem da militância que defende a oposição (quem comia alto ou apaixonados cegos), esses precatórios não são problemas. Querem colocar na cabeça do povo que não é problema. É problema e dos grandes. Ainda mais numa crise dessas.

    Para quem nunca teve compromisso: deixava de pagar encargo das folhas, fazer repasses ao INSS dentre outros tributos era fácil. Tudo levando o povo no bico. Pois não é que muito engolem corda.

    Acho uma injustiça esses gestores do passado não pagar por isso. Pimento no feofó dos outros que tem responsabilidade é refresco.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Denilde (professora)10 de julho de 2016 13:16

      SR, Zezito, pois eu te digo que o prefeito que vai deixar mais precatórios para os futuros gestores, será o SR Flaviano Monteiro. Ele que vai pros palanques, rádios falar que está pagando contas deixadas por gestores anteriores e esquece que precatórios são justamente os direitos dos servidores que deixam de ser pagos, que quando cobrados na justiça viram precatórios. Pois bem, imagine que estamos a três anos sem reajuste salarial, sem mudanças de letras, sem mudanças de títulos. Ele não cumpre o piso salarial dos Professores, dos Agentes de Saúde, nem muito menos o Plano de Cargos e Salários de todos os servidores. Em dezoito anos de trabalho, eu nunca tina visto um gestor agir assim, com tamanho desrespeito aos funcionários públicos.É verdade que sempre precisamos lutar por nossos direitos negados, já participei de outras greves, nunca nenhum gestor deu nada a servidor por queria dar, sempre foi através de muita luta. Porém nenhum foi igual ao Sr Flaviano que não tem nem sequer a humildade de negociar, essa é a segunda vez, que ele judicializa nosso movimento. Como é que ele diz reconhecer nossa luta como justa e legitima e entra na justiça pedindo a ilegalidade da mesma? Precatórios à serem pagos sempre vão existir, todo gestor paga e sempre pagará, porém não é desculpa pra gerá outros futuros. Você fala em cegos, em crise, inclua-se nos cegos, pois em 2014 e 2015 não existia crise e o Sr prefeito não deu o reajuste dos servidores.

      Excluir
  2. Professor, lendo e interpretando seu texto, nos parece que há um tom "implícito" de insatisfação de sua parte, só porque a justiça obrigou o município a pagar o que deve. Só lembrando que esses R$ 547.215,07 refere-se a 3 meses de salário que o Ex-prefeito Evandro Marinho deixou de pagar aos servidores no ano 2000. Esses servidores passaram fome, atrasaram contas,tiverem energia e água cortados, enfim, ficaram em situação de miséria por conta desse atraso. Alguns até já faleceram, e só agora que vem sair essa precatória, inclusive com os valores desatualizados, que já transcorre na justiça há 16 anos, e ainda tem gente reclamando.

    ResponderExcluir
  3. Teve quem deixou de pagar salários e hoje está no palanque do prefeito omi. Não tem ninguém inocente.

    ResponderExcluir
  4. É só no bom para os servidores

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

RETROSPECTIVA 2013/ 2016: APAMI e a gestão de Castelo

EM TEMPO: Reunião da APAMI – As contradições do chefe do executivo

Diretora administrativa da maternidade Claudina Pinto pede demissão

MENSAGEM: Apodienses vencedores

ABERRAÇÃO: Quem votou contra e quem votou a favor de mais desperdício de recursos públicos?