NOTA DE FALECIMENTO: Morre o ex-ministro do TST Francisco Fausto Paula de Medeiros

Faleceu, na manhã deste sábado (30), no Hospital São Lucas, em Natal (RN), o ex-ministro do Tribunal Superior do Trabalho (TST) Francisco Fausto Paula de Medeiros.

Francisco Fausto sofria de um câncer mieloma múltiplo na medula e morreu aos 81 anos. O velório acontecerá no Morada da Paz, na Rua São José, a partir das 17 h. Uma missa está marcada para acontecer amanhã (31), às 8 h, e em seguida haverá o sepultamento no Cemitério Morada da Paz, em Emaús.

Nascido em Areia Branca (RN), Francisco Fausto formou-se em Direito na Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) e atuou como juiz do trabalho substituto no RN antes de tornar-se ministro do TST.

Foi presidente nas 1ª e 4ª Juntas de Conciliação e Julgamento do Recife (PE); Presidente da Junta de Conciliação e Julgamento de Natal; Juiz do TRT da 6ª Região/PE; Vice-Presidente do TRT da 6ª Região; Juiz Convocado para substituição de Ministro no TST; Ministro Togado do TST, a partir de novembro de 1989, em vaga destinada à carreira da magistratura. Exerceu por dois mandatos a presidência da 3ª Turma do TST; foi membro da Comissão de Jurisprudência do TST.

No dia 28 de agosto de 2000, Francisco Fausto Paula de Medeiros tomou posse no cargo de Corregedor-Geral da Justiça do Trabalho. No dia 25 de junho de 2001, assumiu a Vice-Presidência do TST e, em 10 de abril de 2002, tomou posse como presidente do Tribunal Superior do Trabalho (TST).

Ao longo de sua carreira, Francisco Fausto foi uma das personalidades que mais lutou pela implantação do Tribunal Regional do Trabalho no Rio Grande do Norte. Por conta do seu importante papel para a chegada definitiva da Justiça do Trabalho no estado, a sede do TRT-RN foi batizada como 'Complexo Judiciário Trabalhista Ministro Francisco Fausto'.

TRT 21ª Região - Seção de Comunicação Social

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

ABERRAÇÃO: Quem votou contra e quem votou a favor de mais desperdício de recursos públicos?

Diretora administrativa da maternidade Claudina Pinto pede demissão

EM TEMPO: Reunião da APAMI – As contradições do chefe do executivo

NOTA DE REPÚDIO AO PODER PÚBLICO MUNICIPAL DE APODI

Zelo pelo recurso público né? Sei!