Constantes parcerias com os Alves reduziram Wilma de Faria a praticamente nada

Reprodução. 
A ex-governadora, Wilma de Faria, praticamente do nada e sozinha, chegou ao governo do estado por duas vezes, derrotando grandes oligarquias do estado. Porém, o tempo tem mostrado que sua relação com os Alves a levou fragorosamente a sua  redução na trajetória política.

No pleito de 2012 para prefeitura de Natal, ela até aparecia bem nas intensões de votos para prefeita, com chances até de vitória. Abriu mão para um Alves e foi reduzida a vice-prefeita de Carlos Eduardo.

Pleito para governo de 2014. Wilma teria todas as possibilidades de derrotar Henrique Alves para o governo. Logo por que, a rejeição de Alves era enorme. Mas, convencida por Henrique, ela aceitou ser candidata ao senado disputando com Fátima Bezerra.

Analista políticos defendem que ela deveria ter feito aliança era com Fatima e não com Alves.  Wilma para o governo e Fátima ao senado... Seria uma chapa imbatível. Isso na opinião de analistas políticos.

Ela aceitou o acordão dos Alves. Sua decisão e derrota reduziu consideravelmente suas perspectivas futuras. E como reduziu. O futuro a mostraria.

Pleito de 2016. Como retorno a sua subserviência a família Alves, Wilma esperava pelo menos continuar pelo vice na chapa de Carlos Eduardo Alves. Foi descartada. Agora luta desesperadoramente para sobreviver tentando acordo com partidos menores.

Wilma e sua obediência aos Alves a reduziu sistematicamente.  Wilma, que outrora era figura de peso na política Potiguar. Depois de todos esses anos ao lados dos Alves, a Guerreira – como era chamada – foi reduzida a praticamente nada hoje. Wilma. Quem te viu quem te ver.

Comentários

  1. Pelo menos alguma coisa boa os Alves fizeram para o RN.
    Ainda bem que o tal de Lauro sumiu. Espero que não volte nunca mais.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

RETROSPECTIVA 2013/ 2016: APAMI e a gestão de Castelo

EM TEMPO: Reunião da APAMI – As contradições do chefe do executivo

Diretora administrativa da maternidade Claudina Pinto pede demissão

ABERRAÇÃO: Quem votou contra e quem votou a favor de mais desperdício de recursos públicos?

NOTA DE REPÚDIO AO PODER PÚBLICO MUNICIPAL DE APODI