Procurador da república entra com o pedido de terceiro inquérito contra Henrique Alves no STF

Reprodução. Henrique celebrando em comício em Apodi.
Clique para ampliar
Após ter seu nome incluso, pela Procuradoria geral da república, no principal inquérito da Lava Jato, que apura se existiu uma organização criminosa para fraudar a Petrobras e, depois, ter sido alvo de mais um pedido de inquérito ao STF baseado em mensagens apreendidas no celular do ex-presidente da OAS, Léo Pinheiro, onde, o empreiteiro supostamente trata com Eduardo Cunha de doações a Henrique Alves para governo do RN em 2014, o procurador da República, Rodrigo Janot, entrou no STF com mais um pedido de inquérito contra o ex-ministro do turismo, Henrique Alves (PMDB/RN), com esse agora já é o terceiro.

Nesse terceiro pedido de abertura de pedido de inquérito contra Alves, o procurador Janot denunciou ao Supremo Tribunal Federal o ex-ministro do Turismo Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN) por crimes de lavagem de dinheiro e evasão de divisas em razão de conta atribuída a ele na Suíça.

Apesar de ontem enviar nota à imprensa negando a nova acusação, a Suíça transferiu ao Brasil todos os documentos e extratos bancários envolvendo o ex-ministro do Turismo, Henrique Eduardo Alves (RN).

A investigação começou em Berna, na Suíça, sob a suspeita de que a conta tenha sido alimentada por recursos de propinas. A conta de Alves, porém, é uma das mais de mil contas hoje bloqueadas pelos suíços em seus bancos locais relacionadas com a Lava Jato.

Mas, para os suíços, o caminho adotado foi o mesmo seguido no caso do deputado federal afastado Eduardo Cunha (PMDB-RJ). Para a procuradoria suíça, não faria sentido processar o brasileiro, levá-lo a um julgamento em Berna e, em seguida, jamais conseguir sua punição. O motivo é que o Brasil não extradita seus nacionais.

Essa não é a primeira vez que Alves tem seu nome arrolado em avalanches de denúncias, no passado já houve diversas outras ocasiões. Henrique pediu demissão do seu cargo na última quinta-feira (16), mas um dia antes dele pedir demissão havia sido citado por recebimento de propina na delação do ex-presidente da Transpetro Sérgio Machado, coisa em torno de R$ 1,55 milhões.

Mas acho que Janot dessa vez entrou com o pedido contra Henrique no lugar errado viu. O STF é o lugar para que tem foro privilegiado. O procurador não deveria ter direcionado esse pedido ao juiz federal Sergio Moro? 

Comentários

  1. 1 - (TJ) Dentre aqueles que aparecem em primeiro plano na imagem, tem alguma pendenga com a justiça:

    a) 0% deles
    b) 25% deles
    c) 75% deles
    d) 100% deles

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

FESTA: Rio Apodi amanheceu de barreira a barreira, lagoa do Apodi tomando muita agua

EITA PIULA: Ex-secretário de turismo Júnior Costa desmente matéria da assessoria de Alan e mostra provas

NATUREZA: Praticamente 10 anos depois a Lagoa do Apodi volta a ter um grande volume d’água