Oposição na câmara do Apodi fecha pauta, atrasa votação e põem projeto do PAF em risco

Nesse terreno baldio que vemos (foto ao lado), onde funcionava uma lavanderia no bairro lagoa seca, hoje desativada, existe um projeto da assistência social parado na câmara de vereadores do Apodi para a construção de um prédio para funcionar o programa do PAF - Programa de Atendimento Familiar.

Entre os objetivos do Programa de Atendimento Familiar, aqui em Apodi desenvolvido em uma parceria forte entre a secretaria de assistência social do Apodi, CMDCA (Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente) e prefeitura do Apodi podemos destacar:
  • Reparação de danos, restauração dos vínculos familiares e comunitários e redução da prática de maus-tratos;
  • Promoção do atendimento a crianças e adolescentes de 0 a 17 anos e suas famílias, de ambos os sexos, de todo território, inclusive aqueles com deficiência, aos quais foi aplicada medida de proteção, por motivo de maus-tratos, tipo: abandono, negligência, violência psicológica e violência física, cujas famílias ou responsáveis encontrem-se temporariamente impossibilitados de cumprir sua função de cuidado e proteção.

A expectativa é que esse programa possa potencializar as capacidades existentes nas crianças/adolescentes e famílias para restauração de vínculos, propiciando assim, uma política pública que possa ser mediador para haja novo entendimento dentro do imaginário coletivo no que se refere ao atendimento e cuidado da criança e do adolescente, das ações de proteção, prevenção e segurança.

Lá no Bairro lagoa seca, a secretaria de assistência social, em parceria o Banco SANTANDER, com o CMDCA e a prefeitura do Apodi pretendem fazer a estrutura da planta abaixo para servir de apoio ao PAF - Programa de Atendimento Familiar, no terreno onde funcional uma lavanderia desativada.

Clique nas imagens para ampliar.
No entanto, o andamento do projeto está esbarrando na câmara de vereadores do Apodi.

Os vereadores, mas especificamente a bancada da oposição, trancaram a pauta da câmara e, para se utilizar os recursos, já em conta, para botar o projeto para frente dessa belíssima planta (fotos ao lado), que irá valorizar o bairro, precisa de uma câmara com vereadores que saiba trabalhar com equilíbrio.

Mas com a oposição que a câmara do Apodi tem, isso, equilíbrio, saber separar uma coisa da outra,  fica difícil.

Essa não é a primeira, segunda, terceira ou sei lá quantas vezes a população do Apodi corre riscos de perdas por falta desse equilíbrio.

Saber separar oposição a um prefeito sem fazer oposição ao povo. Segundo informações extra-oficiais que recebi a ordem de serviço já deveria ter sido dada pelo executivo apodiense. 

Os recursos para o projetos são oriundos do banco SANDER, mais uma obra para as famílias do Apodi com recursos da inciativa privada. Só que o projeto está em risco com a pauta trancada. Os vereadores da oposição trancaram a pauta por que querem que a municipalidade atenda reivindicações de greve.

Bom, os funcionários municipais estão cobertos de razão em lutar por seus direitos, por perdas salarias. Mas isso é trabalho para categoria e sindicado. A greve é um problema que precisa de soluções, porém não criando-se outros em cima de um que já existe. Acho que até os grevistas querem um projeto como esse para Apodi. Mas, veja a postura de parte nossa câmara... Fica tudo complicadíssimo. 

Foi todo tempo desse jeito na atual legislatura da câmara. Vereadores de oposição trancando pautas de projetos importantes para o povo, em outras ocasiões votando projetos aos 49 do segundo tempo, já em outros casos reprovando mesmo (mais para frente farei retrospectiva). Uma situação sofrível para a população. Esse importante projeto do programa PAF está em risco. Já deviria ter sido aprovado. Lamentável senhores e senhores a postura da oposição.

Com relação a situação Aloma Cavalcante, secretaria de assistencial social respondeu que espera a sensibilidade da câmara: “A nossa parte fizemos que foi trabalhar de forma incansável para junto ao CMDCA conseguir recursos da iniciativa privada (SANTANDER)”, explicou. “Com o projeto pronto e os recursos em conta, aguardamos a aprovação da Câmara Municipal para presentear o Bairro Lagoa Seca e a sociedade apodiense, com a construção de um prédio moderno onde funcionará o Programa de Atendimento Familiar”, destacou a secretaria. 

Comentários

  1. E tem vereador do meu bairro que esta fechando a pauta. Depois nos grupos fica falando em projetos, dando uma de arrochado. Triste

    ResponderExcluir
  2. Essa bancada da oposição fez mais oposição a cidade que ao prefeito. Não tem como eles permanecer mais lá.

    ResponderExcluir
  3. Apesar de ter sido oposição a Flaviano e ser pinheirista,detesto esse tipo de jogo político que só prejudica a nossa cidade,o nosso povo.as lideranças de oposição eram para também irem as rádios e condenarem os vereadores que ficarem contra a construção dessa importante obra social para o povo.não poderia tomar outro rumo o meu comentário.Reforçando minhas palavras,digo : Como iremos para o palanque defender dias melhores para Apodi...Mudanças e om fora esse prefeito,se estamos contra a construção dessa obra ? o povo não é bobo.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

TEMPO: Moradores registram formação de tempestade Supercélula no Paraná

EM TEMPO: Negócios – Apesar do pouco tempo no mercado a San Valle já é sucesso em toda região

RECOMENDAÇÃO: Ministério Público recomenda que Prefeitura de Apodi cancele todos os convênios que possui com APAMI