DELAÇÃO DE CEVERÓ: O nome de Henrique Alves é lembrado mais uma vez

Henrique em abraço fraternal com a maior liderança do Apodi, o médico
pinheiro. Foto de arquivo da Campanha de 2014.
Quem não sai da boca de delatores investigados na lava jato é o ministro do turismo, o Potiguar Henrique Alves.

Segundo matéria postada no site O antagonista (CLIQUE AQUI ECONFIRA MATÉRIA NA INTEGRA), durante a deleção de Nostor Ceveró, que tornou-se pública ontem (02), Henrique Eduardo Alves (PMDB), seria um dos beneficiados com a compra da refinaria de Manguinhos. O negócio acabou não se concretizando na prática.

Segundo a matéria do antagonista, "Ele mencionou que a pressão de Lobão estava muito forte", disse Cerveró, que imaginava haver "algum negócio" de Cunha e Alves "com o grupo ligado a Marcelo Sereno", ex-assessor de José Dirceu.

Segundo o delator – Ceveró, "a compra da refinaria foi motivada por valores de propinas que seriam recebidas. Que, ao final, o negócio não saiu", por causa da deflagração da Lava Jato.

Comentários

  1. Henrique Alves tá bem limpinho tomou banho com sabonete pom pom.voce vai endoidar e não ver Henrique prezo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. KKKKKKKKKKKKKKKK. Esse pobre desse anônimo é muito sem noção. Muito triste a paixão política por um partido. Que piada boa.

      Excluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

TEMPO: Moradores registram formação de tempestade Supercélula no Paraná

EM TEMPO: Negócios – Apesar do pouco tempo no mercado a San Valle já é sucesso em toda região

Sem ter o que comemorar, Prefeitura de Apodi encerra ano entregando pintos

CURIOSIDADE: O sexo no mundo animal – tamanho do pênis