Mas, não moramos em uma terra de pessoas comuns, moramos em Apodi

Fico impressionado até onde a paixão partidária leva as pessoas. Existem pré-canditaruas em Apodi, que eram para entrar para o mar do esquecimento dos eleitores. Mas esses pré-candidatos estão em pré-campanha e muitos vão defendendo como quem defende sua própria vida.

Um comparativo se faz necessário para exemplificar:

Clique nas imagens para ampliar
Passagem molhada no sitio juazeiro II. Um ponto de referência para ser mais preciso é perto de seu Mazinho, perto do terreno do pai do vereador júnior Carlos. Nos baseando pelo relatório da CGU, gestões passadas, investiram ai cerca R$ 123 mil no papel. O que vemos, no entanto é apenas uma pequena estrutura de feita de carnaúbas, chamada popularmente de pinguela. A CGU constatou quando veio aqui em início de 2013, que ai não tem uma pá de cimento investido.
Ponte metálica das queimadas sobre o rio Umari. Em parceria com a comunidade e a Petrobras, a prefeitura do Apodi investiu pouco mais de R$ 30 mil. Em agosto de 2015 aconteceu a inauguração. Já esse ano (2016), mesmo com a pouca chuvas, o rio Umari botou uma boa enxurrada. Isso teria sido o suficiente para que durante dois ou três dias, a comunidade precisasse de canoa para passar o local. Em tempos de grandes cheia a comunidade ficaria isolada. A Ponte metálica, boa, bonita e barra. Foi muito útil.

Acompanhando grupos ou pessoas em redes sociais como o watzapp, que venho me esforçando para entender como funciona suas cabeças, essa ponte molhada ai da foto acima, onde uma empreiteira foi contrata, investido R$ 123 mil, é uma "grande obra". Só por que se conseguiu um recurso.

Já essa obra ai, muito bem feita, útil, bonita e barata, não representa absolutamente nada. Não serve, “pois foi a comunidade quem ajudou a fazer”, essa é uma argumentação muito usada. Alguns mais arredios a chamam até de pinguela metálica.

Administrações do Apodi, duas faces de uma mesma moeda.

Em uma das administrações pessoas que demonstram ser secas por gastar, esbanjar, jogar pelo ralo o dinheiro público.

Em outra, pessoas econômicas, comprometidas em zelar o dinheiro público. Economizar para investir no máximo que se puder na infraestrutura do município.

Dois estilos diferentes de se administrar o dinheiro público. Com certeza, modelos diferentes de fazer campanhas. Uma, no meu modo de ver as coisas, com seus muitos defeitos, mas, tentando acertar sempre. Outra, aparentemente baseada no esbanjamento, no desperdício. Isso me baseando pelo que os seus defendem.

Antes de receber mais uma chuva de comentários nos chamando de Zanoio, babãozinho, olhos trocados, burrinho, dentre outros adjetivos (argumentos usados por alguns para defender os feitos do seu partido), fica uma última observação: Vivendo em um local onde existe indivíduos analisam direito, não teria nem o que se discutir. Mas, não estamos em qualquer lugar. Vivemos em Apodi. E viva a democracia

Comentários

  1. Não entendo se uma passagem desta aí saiu tão barata assim então pq com quase 4 anos só fez uma ..sera q a prefeitura não tem mais 30 sobrando para termina a da baixa fechada não.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

FESTA: Rio Apodi amanheceu de barreira a barreira, lagoa do Apodi tomando muita agua

EITA PIULA: Ex-secretário de turismo Júnior Costa desmente matéria da assessoria de Alan e mostra provas

NATUREZA: Praticamente 10 anos depois a Lagoa do Apodi volta a ter um grande volume d’água