EM TEMPO: Opinião - O parlamento brasileiro deu um exemplo para o mundo do que é ser cretino

Reprodução
Enfim, a semana ficou marcada mesmo pelo exemplo do nível de pessoas que temos legislando esse pais na votação do impeachment de Dilma Rousseff.

Depois que o cérebro da gente assentou dentro da cabeça, ao ver uma coisa daquelas, agora consigo expressar algo sobre aquele momento em termo de opinião. Coisa que sempre gosto de expor aqui sobre assuntos cruciais.

Não vou me referir aqui nem ao resultado em si, o resultado da votação em si, depois da forma como tudo foi feito, acaba se tornando até um mero detalhe diante do que nossos honrados deputados aprontaram durante. Logo por que, cada um tem sua opinião sobre o resultado da votação.

O comportamento dos nosso parlamentares chamou atenção de quem era contra, de quem era a favor ao impeachment, chamou atenção do mundo. É sobre isso que gostaria de escrever algumas linhas.

Um dos momentos mais sérios dos últimos anos depois de “redemocratização” do pais, os deputados da câmara federal tiveram a habilidade de transformar num espetáculo da mais vil e baixa categoria que se possa imaginar.

Bem sabemos que cerca de 70% dos parlamentares que ali se encontravam falando todo aquele festival de asneiras para dar um voto, tem algum tipo de envolvendo com a justiça. Que temos um parlamento desonesto ao extremo já sabia.

Agora, não sabia, porém, que além de desonesto, temos um parlamento onde boa parte, com raras exceções, são uns cretinos. Cretino: “É o adjetivo que serve para designar um indivíduo que tem uma incapacidade mental”, dicionário da língua portuguesa.

Votos sendo oferecidos em nome de tudo que se possa pensar. Até ao torturador do marido de Dilma Rousseff, na época da guerrilha do Araguaia, o deputado Jair Bolsonaro fez o favor de prestar homenagem na hora de dar seu voto. Uma coisa tão indigna que não se pode ter palavras para expressar.

É bem verdade que o PT cometeu erros grotesco em seu governo em nome do permanecer no poder. É irrefutável o fato desse partido está envolvido em corrupção da lava jato até o pescoço. Inclusive, esse fato que me leva a não votar mais nele, no PT, em uma eleição presidencial. 

Porém, não há erro nem ódio nenhum nesse mundo que justifique tal coisa. Um deputado chegar a um microfone, com o mundo todo nos vendo e oferecer seu voto em homenagem ao coronel Ustra, um tirano, que torturou o marido da presidente Dilma entre outras pessoas na época da ditadura. Eu, como cristão, acho algo tremendamente indigno, execrável esse episodio.

Até esse momento, não vi nenhum deputado dos que votaram em favor do impeachment, repudiar essa manifestação terrível desse demente mental desse Jair Bolsonaro. Será que posso interpretar que os mesmo concordam com a atitude insana de Bolsonar? Pela bandalheira que houve durante a votação no último domingo, onde cada um oferecia seu voto a qualquer coisa, quero interpretar que sim.

Vendo o que aconteceu, a forma como tudo foi orquestrado naquela antro no último domingo, chego à conclusão que me sinto um asno, como os que estão comendo naquele cocho da foto acima, pelo fato de ter saído da minha casa, na última eleição, para dar um voto para deputado federal.

Bom, só sei que durante toda essa semana, o mundo está nos ridicularizando. Mais que nunca.

Assista abaixo a forma como apresentadores de telejornal português viram a postura de nossos parlamentares na ultima segunda, 18. Vídeo reprodução TV portuguesa:

Nossa moral que já não era boa lá fora, agora está deplorável. Vídeo reprodução Globo News:

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

RETROSPECTIVA 2013/ 2016: APAMI e a gestão de Castelo

EM TEMPO: Reunião da APAMI – As contradições do chefe do executivo

Diretora administrativa da maternidade Claudina Pinto pede demissão

ABERRAÇÃO: Quem votou contra e quem votou a favor de mais desperdício de recursos públicos?

MENSAGEM: Apodienses vencedores