Eduardo Cunha me lembra a musiquinha da poupança Bamerindus

Antigamente existia um comercial do banco Bamerindus (Clique AQUI e assista). Nele, havia uma musiquinha que instigava as pessoas a aplicar na poupança do Bamerindus. O refrão da musiquinha era assim:

O tempo passa
O tempo voa
E a poupança Bamerindus
Continua numa boa.
É a Poupança Bamerindus” ...

Óbvio quando nos reportamos ao Bamerindus e suas poupanças, nos reportamos a coisas íntegras. Só estou a usar o refrão para fazer mostrar que nada atinge Cunha. Para ele tudo dar certo, na boa. 

Segundo investigações da operação, o cara está mais enrolado que pentelho de africano, como dizia um primo meu nesse dito popular. Provas contundentes é o que não faltam. Documentos dos próprios bancos suíços. O repertório de provas contra o mesmo é tão vasto que chegamos a nos perder nos sabores. 

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, enumerou em petição ao Supremo Tribunal Federal 11 motivos para o ‘necessário e imprescindível’ afastamento do presidente da Câmara, deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), do mandato de parlamentar e de líder da Casa. O documento foi entregue ao STF em dezembro de 2015, mas a Corte ainda não tomou uma decisão sobre isso. Aliás, ninguém sabe nem a quantas anda esses tramites lá pelo STF.

Marcado por reviravoltas e atrasos, o processo de cassação contra Eduardo Cunha (PMDB-RJ) no conselho de ética da câmara chegou ao seu prazo limite na última sexta-feira (22) sem ter atingido nem a metade da fase de instrução e sob ameaça de voltar à estaca zero. Protocolada em 13 de outubro e efetivamente instaurada em 3 de novembro, a investigação deveria ter um desfecho – a absolvição ou a cassação do mandato – em até 90 dias úteis, segundo o Código de Ética da Casa, onde cunha hoje já tem total domínio.

Ou seja, se depender da câmara absolutamente nada irá acontecer com Cunha. E, cientes disso, deputados potiguares vem com uma conversar que são a favor da cassação dele. Só agora, que não há mais perigo para ele (clique AQUI e reveja matéria).

Para completar essa sinfonia harmoniosa, ele está enquadrando na justiça todos (as) aqueles deputados (as) que o chamarão de corrupto durante a votação do impeachment de Dilma Rousseff. Para finalizar mesmo, Temer e Cunha já estão certos que governarão o Brasil e fazem até reuniões com o presidente da FIESP. É o cara – Cunha é o caro, falar a verdade é preciso. Ele não dar uma fora, só dar dentro. Tudo que planeja dar certo.

O caso Eduardo Cunha, como disse, lembra a musiquinha do Bamerindus. Vai coisa, vem coisa. Toda dia petistas entra em cana na operação lava jato. Mil caem a direita, dez mil a esquerda e ele não é atingido. O tempo passa, o tempo voa e Eduardo cunha continua numa boa. É o cara do Brasil.

Eduardo Cosentino da Cunha é um economista, atual presidente da câmara dos deputados, radialista e político brasileiro. Evangélico, é atualmente membro da igreja Assembleia de Deus, Ministério de Madureira, futuro vice presidente do Brasil

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

RETROSPECTIVA 2013/ 2016: APAMI e a gestão de Castelo

EM TEMPO: Reunião da APAMI – As contradições do chefe do executivo

Diretora administrativa da maternidade Claudina Pinto pede demissão

MENSAGEM: Apodienses vencedores

ABERRAÇÃO: Quem votou contra e quem votou a favor de mais desperdício de recursos públicos?