Corregedor-Geral da Justiça do Trabalho encerra correição do TRT-RN nesta sexta-feira (08)

O ministro do TST e corregedor-geral da Justiça do Trabalho, Renato de Lacerda Paiva, segue com a sua equipe, no Tribunal Regional do Trabalho da 21ª Região, em Natal, na realização da correição ordinária do Tribunal Potiguar.

Nos últimos dias, o corregedor-geral da Justiça do Trabalho esteve reunido com advogados, reclamantes e reclamadas, representantes de associações e sindicatos, para ouvir as suas reivindicações.

O presidente da OAB/RN, Paulo Coutinho, o presidente da Associação Norteriograndense dos Advogados Trabalhistas (Anatra), Rodrigo Menezes, e a conselheira seccional Fátima Viana também estiveram em audiência com o ministro quando apresentaram demandas da advocacia potiguar.

Na tarde de quarta-feira (06), o ministro do TST concedeu entrevista ao programa Justiça & Trabalho, uma produção da Seção de Comunicação Social do TRT-RN que vai ar, nacionalmente, pela TV Justiça, quando falou sobre o papel da Corregedoria Geral e sobre o cenário da Justiça do Trabalho no Brasil.

Dando seqüência à programação da correição, na tarde desta quinta-feira (05), o ministro Renato de Lacerda Paiva reuniu-se os desembargadores do Tribunal Regional do Trabalho do Rio Grande do Norte, no Gabinete da Presidência do TRT-RN.

Os trabalhos da correição ordinária serão encerrados amanhã (08) com a leitura da Ata da correição pelo ministro Renato de Lacerda Paiva em sessão plenária administrativa, às 10h, no auditório do Tribunal Pleno, em Natal.

Seção de Comunicação Social - TRT 21ª Região

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

EM TEMPO: Negócios – Apesar do pouco tempo no mercado a San Valle já é sucesso em toda região

RECOMENDAÇÃO: Ministério Público recomenda que Prefeitura de Apodi cancele todos os convênios que possui com APAMI

Finalmente, o que dizer sobre nossa triste realidade?

TEMPO: Moradores registram formação de tempestade Supercélula no Paraná

DECLARAÇÃO: General Mourão diz que Temer faz ‘balcão de negócios’ para governar