Prefeitura do Apodi dialoga com os universitários para discutir questões dos transportes

Clique nas imagens para ampliar
Na manhã de hoje (27), na casa de cultura, o poder público municipal se reuniu com a classe universitária apodiense para debater sobre a celeuma do transporte universitário.

Humildemente o prefeito Flaviano pediu desculpas aos universitários com relação ao transformação fase 2013/2014: “De antemão gostaria de me desculpar com os universitários com relação ao transformação. No meu entendimento o programa foi de boa intenção. No entanto, nem a prefeitura, bem menos classe universitária souberam tocar aquela primeira fase do transformação. Faltou diálogo e capacidade de construirmos juntos na troca de idéias uma outra proposta, os dois lados não tiveram a capacidade buscar alternativas”, enfatizou. “Mas convocamos vocês aqui hoje para juntos discutimos uma alternativa, pois acredito muito que tudo pode ser construído em cima do diálogo”, continuou.

Uma retrospectiva: Queda de receitas, politicagem e falta dialogo derrubaram o transformação Fase I 

Na sequência, Flaviano expôs as dificuldades que a prefeitura vem enfrentando em virtude da queda brusca de arrecadação. Para se ter uma ideia, pelo números exposto pelo chefe do executivo apodiense, de 2013 para 2015, a prefeitura do Apodi teve uma queda de arrendação de tributos de R$ 3.375.656,75 em 2013 contra 3.050.562,57 no ano de 2015.

Queda de arredações e tributos, grandes inimigos do transformação.
Clique para ampliar
A municipalidade mostrou ainda as constantes quedas de royalties entre 2013 a 2015. Flaviano enfatizou na reunião que entre 2013 e 2015 a PMA teve uma queda de cerca de R$ 5 milhões entre tributos e royalties, fatos esse determinante para a não manutenção do programa na antiga forma. Outro ponto determinante para o fim do programa foram as denúncias e as picuinhas.

O prefeito Flaviano após apresentar as dificuldades em manter da primeira fase do transformação, mostrou os problemas relativos a falta de diálogo entre a classe universitária e o poder público em debater propostas alternativas como o bolsa transformação e, mediante o fracasso dessa nova proposta reprovada na câmara de vereadores com o aval dos próprios universitários e, depois com relação aos problema relativos ao repasse de R$ 27 mil mensais que a PMA poderia fazer a AENTS, alternativa que tornou-se inviável também em face as constantes licitações feitas pela AENTS que sempre deram vaga.

A nova proposta:
Nova proposta. Clique para ampliar
Na nova proposta da prefeitura para a classe universitária, para os universitário do turno matutino, a prefeitura disponibilizaria um ônibus grande dos amarelinhos, com capacidade para 60 pessoa e um micro-ônibus com capacidade para 30 pessoas, arcando com um custo aproximado para os cofres público em torno de R$ 6.400 reais só de combustível/mês com transporte para o turno matutino.

Para os universitários do turno vespertino, na nova proposta, a prefeitura disponibilizaria dois ônibus grandes dos amarelinhos, cada um com capacidade para 60 pessoas, totalizando 120 ao todo, mais dois micro-ônibus, sendo cada um com capacidade para transportar 30 pessoas, totalizando 60 pessoas para os dois micro-ônibus.  Em termo de recursos públicos, a prefeitura estaria investindo mensalmente para os 2 ônibus grandes e os dois micro-ônibus um orçamento em torno de R$ 12.700,00 mês só de combustível.

Incluindo as despesas só com combustível para transportar dos universitários apodienses para Mossoró e Caraúbas, pela manhã e tarde, a prefeitura terá que desembolsar em torno de R$ 19 mil/mês só com combustível pela nova proposta.


Além das despesas com combustível, a prefeitura também assumiria as despesas com a manutenção mensal dos ônibus e micro-ônibus e pagamento dos salários dos motoristas. Em uma per capita por aluno, com a nova proposta da prefeitura, os gastos dos universitários com transportes caem de 264,00 para um valor entre R$ 70,00 ou 80,00 reais em 22 dias úteis/mês.

Quanto a parte dos universitários, nessa nova proposta, esses assumiriam as despesas referentes ao combustível para abastecer os ônibus mensalmente, além de uma gratificação para os motoristas. Esse sistema funcionaria de modo bem semelhante ao sistema que transporta os estudantes universitários para Caraúbas.

A reunião foi relativamente positiva e marcada por respeito entre o poder público e a classe universitária. Os universitários ficaram reunidos na casa de cultura estudando se aceitaria a proposta da PMA. A dificuldade, quero acreditar vai ficar em torno da própria classe universitária apodiense. Acompanhando com atenção a reunião de hoje constatei desorganização e pouco incapacidade de diálogo entre os mesmos. Essa é, no meu modo de ver, diante da situação que se apresenta na atualidade, uma boa proposta. Vamos ficar aguardo.

Comentários

  1. Por ampla maioria aceitamos a proposta do executivo depois de muita discussao, pos apresentaçao do projeto.

    ResponderExcluir
  2. É muito difícil lidar com os universitários. Deixaram a politicagem invadir o interesse coletivo deles.

    ResponderExcluir
  3. esse Maurinho é muito babao do prefeito

    ResponderExcluir
  4. Pra tudo dessa vida tem uma solução é só as duas parte entrarem em acordo, pois digo

    ResponderExcluir
  5. Estão de parabéns ambos os lados. Ai esta a prova de que sem politica partidária no meio e com pensamentos coletivos se pode chegar a um denominador.

    Vamos agora torcer que opositores, que só querem atrapalhar tudo custe o que custar (as denuncas que o digam), não venha a interferir negativamente

    ResponderExcluir

Postar um comentário